Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

A Coreia do Norte iniciou o abastecimento de combustível do foguete que pretende colocar um satélite em órbita entre os dias 12 e 16 de abril, informou nesta quarta-feira um responsável do Comitê de Tecnologia Espacial.

"Estamos injetando combustível neste momento que conversamos", disse Paek Chang-Ho, diretor do Centro de Controle de Satélites, no subúrbio de Pyongyang, durante uma visita de jornalistas estrangeiros. Os reservatórios do foguete "estarão cheios em breve", declarou Paek.

Oficialmente, o foguete, de 30 m de altura e 2,5 m de diâmetro, colocará em órbita um satélite de observação da Terra, o Kwangmyongsong-3 (Estrela Brilhante) para coletar informações sobre as plantações, florestas e os recursos naturais da Coreia do Norte.

Mas os Estados Unidos e seus aliados, em particular a Coreia do Sul e o Japão, denunciam que trata-se de um teste disfarçado de míssil balístico de longo alcance, que poderá ser o primeiro passo, segundo fontes militares sul-coreanas, para um teste nuclear.

O primeiro estágio do foguete deve cair no Mar Amarelo, a oeste da península coreana, e o segundo ao leste das Filipinas, sobrevoando uma parte das ilhas de Okinawa, na região sul do Japão. O foguete será lançado do novo centro espacial construído na península de Cholsan, a 50 km da fronteira com a China.

 

11 de abril de 2012  09h35


PYONGYANG, 11 Abr 2012 (AFP) -A Coreia do Norte consagrou nesta quarta-feira seu novo líder Kim Jong-un em uma histórica reunião de seu partido único, que o designou primeiro-secretário, às vésperas do lançamento de um foguete que provocou a irritação da comunidade internacional, especialmente os Estados Unidos.

A conferência do Partido do Trabalho da Coreia (PTC) designou formalmente no cargo Kim Jong-un, que sucedeu seu pai Kim Jong-il, falecido no dia 17 de dezembro de 2011 e que ostenta agora o título honorífico de chefe eterno do partido.

Segundo o jornal oficial do PTC, o regime também designou um novo ministro das Forças Armadas, o que, segundo os observadores, constitui um sinal de uma renovação de gerações no seio da cúpula norte-coreana orquestrada por Kim Jong-Un para assentar sua autoridade perante os militares.

Esta conferência extraordinária, a quarta realizada desde a criação em 1948 da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), marcou o início das celebrações do centenário do nascimento de seu fundador, Kim Il-sun, avô falecido do novo dirigente.

A propaganda oficial inundou nesta quarta-feira os meios de comunicação oficiais com mensagens à glória de Kim Jong-un, que tem menos de trinta anos e já foi alçado ao patamar de comandante supremo das forças armadas norte-coreanas, à frente de 1,2 milhões de homens.

Kim, escreve o Rodong Sinmun, órgão de imprensa do PTC, "é um general enviado do céu e um grande líder". "A conferência histórica do partido do Trabalho da Coreia que começa hoje demonstrará de maneira brilhante a vontade de ferro e a fé inquebrável do partido e do povo no caminho para a vitória traçado pelo querido camarada Kim Jong-un", acrescenta o editorial.

O lançamento do satélite é iminente - entre quinta-feira e segunda-feira - e dezenas de milhares de pessoas foram mobilizadas dia e noite para enfeitar a capital Pyongyang com a aproximação das grandiosas cerimônias de domingo.

O regime norte-coreano afirma que o foguete deve enviar ao espaço um satélite de uso civil. Os Estados Unidos e seus aliados sul-coreanos e japoneses acusam Pyongyang de preparar na realidade um teste de míssil balístico. A Rússia também condenou o projeto, enquanto a China, única aliada da Coreia do Norte, manifestou sua preocupação e fez um chamado à moderação.

A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, convocou a Coreia do Norte a renunciar ao lançamento do foguete se buscar "um futuro de paz".

"Estamos realizando estreitas consultas (com nossos interlocutores) e nas Nações Unidas em Nova York, e vamos iniciar as gestões pertinentes", disse Hillary na terça-feira em Washington.

"Se a Coreia do Norte busca um futuro de paz, melhor para o seu povo, deve se abster de realizar um novo lançamento que representa uma ameaça para a segurança regional", acrescentou.

No entanto, nada parece abalar a vontade do regime norte-coreano, que nesta quarta-feira confirmou ter iniciado o abastecimento de combustível do foguete.

"Estamos injetando o combustível neste momento", disse Paek Chang-Ho, diretor do Centro de Controle de Satélites na periferia de Pyongyang, durante uma visita de um grupo de jornalistas estrangeiros.

Um grupo de várias dezenas de jornalistas estrangeiros foi autorizado pela primeira vez a visitar este centro custodiado pelo exército, em uma operação de transparência destinada, segundo Pyongyang, a demonstrar que se trata do lançamento de um foguete civil, e não de um míssil.

O abastecimento dos tanques do foguete "terminará em um futuro próximo", disse Paek. Confirmou que o satélite de observação da Terra Kwangmyongsong-3 (Estrela brilhante) já foi instalado, na terça-feira, na terceira e última etapa do foguete Unha-3.

gca-jit/ltl/arz/ma

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5712455-EI8143,00-...

ORAÇÃO:

 Oração para se libertar dos opressores:

 Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Senhor, rogo pela justiça divina. Senhor, não deixai que os ímpios oprimam os cidadãos íntegros. Conservai a liberdade de todos os nosso irmãos, e que apenas o Senhor interceda em nossos destinos. Pai, livrai-nos da opressão dos homens poderosos, dos políticos mal-feitores, da violência do poder, para vivermos na Sua paz, com fé e otimismo. Amém!

Amém.

Exibições: 124

Respostas a este tópico

Agradeço a Deus Misericordioso pela falha no "foguete"

A notícia:

A Coreia do Norte anunciou nesta sexta-feira o fracasso no tão aguardado lançamento de um foguete, numa admissão rara e constrangedora para o Estado recluso e seu jovem líder. 

RSS

© 2020   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço