Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Vencer a cultura da morte com o “Evangelho da Vida”


O saudoso Papa João Paulo II deixou-nos, em 1995, a Carta Encíclica “Evangelium
Vitae” (Evangelho da Vida) em que nos ensina, cheio da sua sabedoria, que: “o ser
humano deve ser respeitado e tratado como uma pessoa desde a sua concepção e,
por isso, desde esse momento devem-lhe ser reconhecidos direitos da pessoa, entre
os quais e primeiro de todos, o direito inviolável de cada ser inocente à Vida”
(Evangelium Vitae, nº 60); e a vencer a cultura da morte. Naquela encíclica são-nos
abordadas e respondidas algumas questões:


Que tipo de crime é o aborto?
“Dentre todos os crimes que o homem pode cometer contra a vida, o aborto provocado
apresenta características que o tornam particularmente perverso e abominável”
(Evangelium Vitae, nº 58).


Numa campanha de opinião pública sobre o aborto, qual é a posição mais
humana?
“No caso de uma lei intrinsecamente injusta, como aquela que admite o aborto ou a
eutanásia, nunca é lícito conformar-se com ela, nem participar numa campanha de
opinião a favor de uma lei de tal natureza, nem dar-lhe a aprovação com o seu voto”
(Evangelium Vitae, nº 73).


Quem diz sim ao aborto, que tipo de decisão está a tomar?


“Quando uma maioria parlamentar ou social decreta a legitimidade da eliminação,
mesmo sob certas condições, da vida humana ainda não nascida, assume uma
decisão tirânica contra o ser humano mais débil e indefeso” (Evangelium Vitae, nº 70).


É verdade que somos donos da nossa barriga e da própria vida!
“Matar um ser humano, no qual está presente a imagem de Deus, é pecado de
particular gravidade. Só Deus é dono da Vida!” (Evangelium Vitae, nº 55).


Será que a liberalização do aborto é uma questão de consciência?
“A tolerância legal do aborto ou da eutanásia não pode, de modo algum, fazer apelo
ao respeito pela consciência dos outros, precisamente porque a sociedade tem o
direito e o dever de se defender contra os abusos que se possam verificar em nome
da consciência e com o pretexto da liberdade“ (Evangelium Vitae, nº 71).


Aprovar o aborto é sinal de liberdade?
“Reinvindicar o direito ao aborto e reconhecê-lo legalmente, equivale a atribuir à
liberdade humana um significado perverso e iníquo: o significado de um poder
absoluto sobre os outros e contra os outros. Mas isto é a morte da verdadeira
liberdade: «Em verdade, em verdade vos digo: todo aquele que comete o pecado é
escravo do pecado» (Jo 8,34)” (Evangelium Vitae, nº 20).
“Quando a lei, votada segundo as chamadas regras democráticas, permite o aborto, o
ideal democrático, que só é tal verdadeiramente quando reconhece e tutela a
dignidade de toda a pessoa humana, é atraiçoado nas suas próprias bases: Como é
possível falar ainda de dignidade de toda a pessoa humana, quando se permite matar
a mais débil e a mais inocente? Em nome de qual justiça se realiza a mais injusta das
discriminações entre as pessoas, declarando algumas dignas de ser defendidas,
enquanto a outras esta dignidade é negada? Deste modo e para descrédito das suas
regras, a democracia caminha pela estrada de um substancial totalitarismo. O Estado
deixa de ser a «casa comum», onde todos podem viver segundo princípios de
substancial igualdade, e transforma-se num Estado tirano, que presume poder dispor
da vida dos mais débeis e indefesos, como a criança ainda não nascida, em nome de
uma utilidade pública que, na realidade, não é senão o interesse de alguns” (
Evangelium Vitae, nº 20).
Relembramos ainda que o Papa João Paulo II concedeu também uma bênção
apostólica especial aos católicos que rezem, todos os dias ou tão frequentemente
quanto lhes for possível devido às circunstâncias da sua vida, o Terço da Misericórdia
“pela vida”.

Concretamente foi em Março de 2003 que o Santo Padre concedeu uma
“superabundância de graças divinas” a quem reze o referido Terço com as seguintes
intenções:

“Para afastar o castigo divino; pelas mães, para que não abortem a
sua descendência;

pelas crianças em perigo de serem mortas no ventre
materno;

por uma mudança de coração dos executores dos abortos e dos seus
colaboradores; pelas vítimas humanas da pesquisa das células do tronco;
manipulação genética; clonagem e eutanásia; e por todos os governantes dos
povos, para que promovam a cultura da vida para exterminar a cultura da
morte”.


João Paulo alertou-nos ainda: “A rejeição da Vida do homem, nas suas diversas
formas, é realmente uma rejeição de Cristo” (João Paulo II, Evangelium Vitae, nº 104);
“Encontramo-nos perante um confronto rude e dramático entre o mal e o bem, entre a
morte e a vida, entre a “cultura de morte” e a “cultura de vida”. Não nos encontramos
somente “perante”, mas inevitavelmente “no meio” deste conflito: estamos todos
activamente implicados, e não podemos iludir a nossa responsabilidade de fazer uma
escolha incondicional em favor da Vida” (Evangelium Vitae, nº 28). E em 13 de Maio
de 1982 fez a seguinte consagração a Nossa Senhora de Fátima: “Oh, Coração
Imaculado! Ajudai-nos a vencer a ameaça do mal que tão facilmente se enraíza nos
corações dos homens de hoje e que, nos seus efeitos incomensuráveis, pesa já sobre
a nossa época e parece fechar os caminhos do futuro! Dos pecados contra a vida do
homem desde os seus primeiros instantes, livrai-nos!”.
Obrigado João Paulo II. Intercede por nós.
Aborto, simplesmente Não

link original em pdf http://www.santidade.net/artigos/jsd_evangelho_vida.pdf

Oração a Nossa Senhora Protetora dos Nascituros

Ó Senhora nossa Maria Santíssima! Carregados de imperfeições, pecados e vícios, ousamos comparecer diante do Vosso trono de bênçãos. Não vimos aqui para pedir-Vos nem ouro nem prata, nem riqueza alguma. Nem sequer vimos falar de nossas necessidades espirituais.

Viemos, tão-somente, para apresentar-Vos a nossa súplica em favor daqueles a quem é negado o direito sagrado de nascer; em favor dos que têm a vida ameaçada por aqueles que a deveriam defender.

Senhora, iluminai as mulheres que têm o poder de gerar; mostrai-lhes o quanto é maravilhoso ser mãe. Despertai a consciência dos médicos, para que jamais cortem essas flores em botão, sob o falso pretexto de proteção à vida das mães.

Ó vencedora das grandes batalhas de Deus! Fazei compreender aos homens que não é a fecundidade humana que torna o mundo pequeno, e sim as injustiças e a ambição desenfreada.

Ó Senhora Protetora dos Nascituros, fazei valer Vossa onipotência suplicante diante do trono do Divino Salvador, a quem protegeste contra a perseguição de Herodes, fugindo para o Egito.

Finalmente Vos pedimos, Senhora: multiplicai os apóstolos da Vida, como as estrelas do céu e as areias das praias, para que os partidários do aborto e as mães e pais indignos deste nome, se sintam confundidos e humilhados. Reconhecendo a sua crueldade, se voltem a Deus, fonte da Vida. Fazei que, quanto antes, seja proclamada a vitória da vida sobre a morte, e o sorriso das crianças seja a alegria de todos os lares.

Isso Vos pedimos, por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

(Com aprovação Eclesiástica)

Exibições: 552

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de RUTEMAR MATHEUS DOS SANTOS MARTI em 4 junho 2013 às 20:51

Apesar do que li aqui, e acho que foi muito bom,  saber , pq estou aqui para aprender sempre mais, e mais, me sinto agora, não culpada pela minha ignorância espiritual da idade(eu tinha 23 anos), e hoje aos 61, acredito, de lá p/ cá, ter aprendido alguma coisa, pq estou sempre na busca de meu aperfeiçoamento espiritual...jamais me sentirei perfeita...pq "PERFEITO É DEUS" E OS ASCENSIONADOS, SANTOS,  eu não fui totalmente punida, pq tenho uma filha nascida no dia de Nossa Senhora das Graças(27/11/1975) , e um filho nascido no dia de Nossa Senhora de Guadalupe(12/12/1974). Me sinto abençoada e perdoada pq sou filha de Maria. Minha mãe me consagrou a Nossa Senhora Aparecida, como Mãe espiritual. Senti imensa alegria em conhecer você, e acho que estou me sentindo em paz comigo mesma. Minhas ações e atitudes de vida, me dizem que sou do bem Maior. Faço muitas orações e preces, invocações e Deus não vai me punir , pq Êle tem misericórdia e perdoa seus filhos, qd estes tem propósitos puros e arrependimento sincero. Fique na Luz e Alegria. Amém.

Comentário de Maria Aparecida Ricardo em 4 junho 2013 às 18:34

Mãe, Senhora de Guadalupe, proteja a vida aqui na Terra, amém!

© 2020   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço