Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Os Arautos do Evangelho são uma Associação Internacional de Fiéis de Direito 
Pontifício, a  primeira a ser erigida pela Santa Sé no terceiro milênio, o que 
ocorreu por ocasião da  festa litúrgica da Cátedra de São Pedro
em 22 de fevereiro de 2001

Aprovação Pontificia_.jpg
Audiência com S.S. Papa João Paulo II por 
ocasião do Aprovação Pontifícia

Composta predominantemente por jovens, esta Associação está presente em 78 países. Seus membros de vida consagrada praticam o celibato, e dedicam-se integralmente ao apostolado, vivendo em casas destinadas especificamente para rapazes ou para moças, os quais alternam a vida de recolhimento, estudo e oração com atividades de evangelização nas dioceses e paróquias,dando especial ênfase à formação da juventude.

         Embora não professem votos e conservem-se no estado leigo - exceção feita de alguns que abraçam as vias do sacerdócio - os Arautos do Evangelho procuram praticar em toda a sua pureza fascinante os conselhos evangélicos. 

        Vivem normalmente em comunidade (masculinas ou femininas), num ambieMonsenhor Joao Cla Dias, EP_.jpgnte de caridade fraterna e disciplina. Em suas casas fomenta-se uma intensa vida de oração e estudo, seguindo-se a sapiencial diretriz do Papa João Paulo II: 

       "A formação dos fiéis leigos tem como objetivo fundamental a descoberta cada vez mais clara da própria vocação e a disponibilidade cada vez maior para vivê-la no cumprimento da própria missão" (Christifidelis Laici, 58).

        Seu fundador é Mons. João  Clá Dias.

    Outra categoria de membros são os Cooperadores, os quais "embora sintam-se identificados com o espírito da Associação - lê-se nos Estatutos - não cooperadores_.jpgpodem comprometer-se plenamente com os objetivos dela, devido a seus compromissos sacerdotais, ao fato de pertencerem a algum instituto de vida consagrada ou sociedade de vida apostólica, ou a seus deveres matrimoniais ou profissionais".

Leigos, casados ou solteiros que vivem no mundo, sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas, leigos de vida consagrada ou membros de outras associações ou movimentos apostólicos, os Cooperadores dos Arautos do Evangelho, além de observarem os preceitos e deveres próprios a seu estado, esforçam-se por viver em conformidade com o carisma e a espiritualidade da Associação, dedicando a ela seu tempo livre e se comprometendo a cumprir certas obrigações. 

          Finalidade                                  

Nos primeiros artigos de seus Estatutos encontra-se delineada a vocação dos Arautos do Evangelho:
Brasão Arautos do Evangelho.jpg
       "Esta Associação .... nasceu com a finalidade de ser instrumento de santidade na Igreja, ajudando seus membros a responderem generosamente ao chamamento à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade, favorecendo e alentando a mais íntima unidade entre a vida prática e a fé. ....

       Além disso, a Associação tem como fim a participação ativa, consciente e responsável de seus membros na missão salvífica da Igreja através do apostolado, ao qual estão destinados pelo Senhor, em virtude do Batismo e da Confirmação. Devem, assim, atuar em prol da evangelização, da santificação e da animação cristã das realidades temporais."

Espiritualidade

Os Arautos têm sua espiritualidade alicerçada em três pontos essenciais: a Eucaristia, Maria e o Papa, como está definido nos seus estatutos:

       "A espiritualidade tem como linhas mestras a adoração a Jesus Eucarístico, de inestimável valor na vida da Igreja para construí-la como una, santa, católica e apostólica, corpo e esposa de Cristo (EE 25, 61); a filial piedade mariana, imitando a sempre Virgem e aprendendo a contemplar n'Ela o rosto de Jesus (NMI 59); e a devoção ao Papado, fundamento visível da unidade da fé (LG 18)."

Esses pontos estão representados em destaque no brasão que os distingue.

Carisma

Seu carisma os leva a procurar agir com perfeição em busca da pulcritude em todos os atos da vida diária, mesmo estando na intimidade e está expresso no sublime Cerimonial_.jpgmandamento de Jesus Cristo: "Sede perfeitos como vosso Pai Celeste é perfeito" (Mt 5, 48).

          
Para o Arauto do Evangelho, este chamamento à perfeição não deve ficar restrito aos atos interiores, mas exteriorizar-se em suas atividades, de modo que melhor reflitam a Deus. Isto quer dizer que ele deve revestir de cerimonial as suas ações cotidianas, seja na intimidade de sua vida particular, seja em público, na obra evangelizadora, no relacionamento com os irmãos, na participação da Liturgia, nas apresentações musicais e teatrais, ou em qualquer outra circunstância.

        Esta procura da perfeição significa não só abraçar a verdade, praticar a virtude, mas também fazê-lo com pulcritude, com beleza, a qual pode ser importante elemento de santificação.

Com razão lembra o Santo Padre, na Carta aos Artistas, o oportuno ensinamento do Concílio Vaticano II:

O mundo em que vivemos tem necessidade de beleza para não cair no desespero.          A beleza, como a verdade, é a que traz alegria ao coração dos homens, é este fruto precioso que resiste ao passar do tempo, que une as gerações e as faz comungar na admiração".Coro_Arautos.jpg

Evangelização através da cultura e da arte

Por verem na cultura e na arte eficazes instrumentos de evangelização, os Arautos habitualmente lançam mão da música, tanto pelas vozes como pelos instrumentos.

Assim é que grande número de coros, orquestras e conjuntos musicais foram constituídos por Arautos, a fim de levar sua mensagem de fé e de esperança à sociedade contemporânea .

Esse papel tão importante da arte tem sido ressaltado pelo Papa Bento XVI - ele mesmo um grande apreciador de música - em várias ocasiões, como por exemplo nas palavras finais de agradecimento pelo concerto oferecido pelo Presidente da República Italiana por ocasião do terceiro aniversário do pontificado, a 24/04/2008:

Existe uma misteriosa e profunda relação entre música e esperança, entre canto e vida eterna: por este motivo a tradição cristã representa os espíritos bem-aventurados, enquanto cantam no coro, raptados e extasiados pela beleza de Deus. Porém a arte autêntica, como a oração, não nos torna alheios à realidade cotidiana; mas nos conduz a ela para "impregná-la" e fazer que reviva, para que dê frutos benéficos e paz".

Exibições: 130

Anexos

Responder esta

Respostas a este tópico

Sombrio - Santa Catarina (Sexta-Feira, 12/06/2015, Gaudium Press) A cidade de Sombrio, no Estado de Santa Catarina, promoverá neste final de semana a Festa de Santo Antônio de Pádua. Durante a comemoração, haverá celebração, espiritualidade e diversão para os católicos da Região Sul.

Os organizadores estimam a participação de um grande público de sombrienses, mas devotos de outras cidades também deverão comparecer às atividades festivas. Desde o início do mês vem sendo realizada uma preparação para a comemoração, com as missas da Trezena de Santo Antônio, que antecedem a data oficial do padroeiro, dia 13 de junho.

Hoje, dia 12, o Bispo diocesano Dom Jacinto Inacio Flach presidirá a Missa do Dia dos Namorados, às 19h30, com o tema: "Santo Antônio: Um jovem apaixonado pelo Cristo". Já amanhã, dia 13, o padre Antônio Madeira, de Araranguá, celebrará a Missa Solene. Depois da cerimônia, haverá um almoço de confraternização. A partir das 15h, acontecerá um casamento comunitário.

Relíquia de Santo Antônio

Trazida por uma comitiva que esteve na Itália, na Basílica Santo Antônio de Pádua, a Relíquia de Santo Antônio foi dada a cidade de Sombrio em 2011. Trata-se de uma parte da pele do santo, que ficará também exposta durante a festa. Haverão vários momentos para que as pessoas possam contemplar a relíquia, fazendo seus pedidos e agradecimentos.

História de Santo Antônio

Santo Antônio nasceu em Lisboa, em uma família nobre, por volta de 1195, e foi batizado com o nome de Fernando. Começou a fazer parte dos cônegos que seguiam a regra monástica de Santo Agostinho, primeiramente no mosteiro de São Vicente, em Lisboa, e depois no da Santa Cruz, em Coimbra. Dedicou-se com interesse e solicitude ao estudo da Bíblia e dos padres da Igreja.

Em Coimbra, aconteceu um fato que mudou sua vida: em 1220, foram expostas as relíquias dos primeiros cinco missionários franciscanos que haviam se dirigido a Marrocos, onde encontraram o martírio. Esse acontecimento fez nascer nele o desejo de imitá-los e de avançar no caminho da perfeição cristã: então, pediu para deixar os cônegos agostinianos e converter-se em frade menor. A petição foi acolhida e, tomando o nome de Antônio, também ele partiu para Marrocos. Mas a Providência divina dispôs outra coisa.

Devido a uma doença, Santo Antônio se viu obrigado a voltar à Itália em 1221. Viveu por algum tempo totalmente escondido em um convento perto de Forlì. Começou, na Itália e na França uma atividade apostólica que levou muitas pessoas que haviam se separado da Igreja a retomarem sua participação na vida eclesial. Nomeado como superior provincial dos Frades Menores da Itália Setentrional, Antônio continuou com o ministério da pregação, alternando-o com as tarefas de governo.

Morreu nas portas da cidade de Pádua, no dia 13 de junho de 1231. E é neste dia que a Igreja Católica celebra o dia de Santo Antônio de Pádua, um dos santos mais populares, venerado não somente em Pádua, onde foi construída uma basílica que acolhe os restos mortais dele, mas no mundo inteiro. São estimadas pelos fiéis as imagens e estátuas que o representam com o lírio, símbolo da sua pureza, ou com o Menino Jesus nos braços. (FB com informações do site da Diocese de Criciúma)

Sábado, 13 de Junho de 2015.

Santo do dia: Imaculado Coração de Maria; Santo Antônio de Pádua, presbítero e Doutor da Igreja
Cor litúrgica: branco

Evangelho do dia: São Lucas 2, 41-51

Primeira leitura: Isaías 61, 9-11
Leitura do livro do profeta Isaías:

9A descendência do meu povo será conhecida entre as nações, e seus filhos se fixarão no meio dos povos; quem os vir há de reconhecê-los como descendentes abençoados por Deus. 10Exulto de alegria no Senhor e minh'alma regozija-se em meu Deus; ele me vestiu com as vestes da salvação, envolveu-me com o manto da justiça e adornou-me como um noivo com sua coroa, ou uma noiva com suas joias. 11Assim como a terra faz brotar a planta e o jardim faz germinar a semente, assim o Senhor Deus fará germinar a justiça e a sua glória diante de todas as nações.

Palavra do Senhor
Graças a Deus

Salmo 1Sm2

- Exulta no Senhor meu coração, e se eleva a minha fronte no meu Deus; minha boca desafia os meus rivais porque me alegro com a vossa salvação.

R: Meu coração se regozija no Senhor.

- O arco dos fortes foi dobrado, foi quebrado, mas os fracos se vestiram de vigor.Os saciados se empregaram por um pão, mas os pobres e os famintos se fartaram. Muitas vezes deu à luz a que era estéril, mas a mãe de muitos filhos definhou.

R: Meu coração se regozija no Senhor.

- É o Senhor quem dá a morte e dá a vida, faz descer à sepultura e faz voltar; é o Senhor quem faz o pobre e faz o rico, é o Senhor quem nos humilha e nos exalta.

R: Meu coração se regozija no Senhor.

- O Senhor ergue do pó o homem fraco, do lixo ele retira o indigente, para fazê-los assentar-se com os nobres num lugar de muita honra e distinção.

R: Meu coração se regozija no Senhor.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 2, 41-51

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Bendita é a Virgem Maria, que guardava a palavra de Deus, meditando-a no seu coração (Lc 2, 19)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa. 42Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume. 43Passados os dias da Páscoa, começaram a viagem de volta, mas o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o notassem. 44Pensando que ele estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Depois começaram a procurá-lo entre os parentes e conhecidos. 45Não o tendo encontrado, voltaram para Jerusalém à sua procura. 46Três dias depois, o encontraram no Templo. Estava sentado no meio dos mestres, escutando e fazendo perguntas. 47Todos os que ouviam o menino estavam maravilhados com sua inteligência e suas respostas. 48Ao vê-lo, seus pais ficaram muito admirados e sua mãe lhe disse: "Meu filho, por que agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura". 49Jesus respondeu: "Por que me procuráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?" 50Eles, porém, não compreenderam as palavras que lhes dissera. 51Jesus desceu então com seus pais para Nazaré, e era-lhes obediente. Sua mãe, porém, conservava no coração todas estas coisas.

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço