Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

29 DE DEZEMBRO - SAGRADA FAMÍLIA - FUGA PARA O EGITO, ORAÇÕES E UM POUCO DE HISTÓRIA

Encontramos informações sobre a passagem da Sagrada Família no Egito pelos evangelhos apócrifos.

Os cristãos coptas veneram alguns lugares sagrados no Egito, onde eles afirmam que Jesus Maria e José foram para o exílio.

No Evangelho de Mateus lemos:

Depois que os magos partiram, o Anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. 14José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe, e partiu para o Egito. 15Ali ficou até a morte de Herodes, para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu Filho”. 

Posteriormente:

 

19Quando Herodes morreu, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, 20e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe, e volta para a terra de Israel; pois aqueles que procuravam matar o menino já estão mortos”.

 

Quanto ao  lugar onde a Sagrada Família viveu no Egito, não é possível  precisá-lo. Mateus é tão genérico neste ponto que  podemos concluir que bastou José chegar à fronteira do Egito, ao sul de Gaza, em direção a Wadi Aris,  para estar seguro, fora do domínio de Herodes. Contudo, são diversas as localidades que disputam a honra de ter hospedado a família imigrante de Nazaré. Entre elas destacamos Heliópolis, lugarejo distante 10 quilômetros de Cairo. Também no vilarejo de nome Matarieh, próximo do Cairo, num  lugar denominado “Jardim de Bálsamo”;  são venerados um antigo sicômoro, conhecido com “árvore da Virgem”, e uma fonte, cuja tradição busca uma interpretação no “Evangelho árabe da Infância”, explicitando que a Sagrada Família se dirigiria ao sicômoro hoje chamado Matarieh e Jesus fez com que ali brotasse  uma fonte, na qual a Senhora Maria lavava as suas fraldas. Do suor de Jesus, que se espalhou, proveio o bálsamo da região (c 24). Hoje nesta localidade está erigida uma igreja dedicada à Sagrada Família. Ainda em Cairo, entre as várias igrejas edificadas, uma das  mais importantes é Abu Sargha, construída segundo a  tradição no  lugar onde morava a  Sagrada Família. Outras  localidades se contentam em ter a honra ao menos da estada da Sagrada Família. Entre elas citam-se Bubaste, Bilheis, Pelusio e Koskam. Os elementos convencionais nos quais essas tradições  se apoiam são quase sempre uma árvore, uma fonte ou uma igreja com uma referência clara a lendas apócrifas.

  Pouco nos importa saber o lugar onde residiram o certo é que foi neste país,  poderoso por causa de seus exércitos ágeis que a Providência os colocou por algum tempo, alojados provavelmente em um dos bairros hebreus, situados numa cidade próxima à fronteira oriental. Numa dessas localidades os “hebreus podiam encontrar auxílio e conforto junto aos compatriotas que viviam naquele país, famoso por suas tradições antigas, por suas cidades de monumentos solenes e  por seus centros culturais e comercias onde pulsava a vida do  grande mundo. No ambiente onde a Sagrada Família passou a viver, assim como em todo o Oriente, iniciara-se o culto ao imperador e o número de ídolos era bastante elevado: adorava-se o carneiro,  o abutre, o crocodilo, o falcão... Além do mais, existiam um vasto domínio de magia e de superstições, especialmente no interior”.

  Com a solidariedade de seus compatriotas, José encontrou um lugar para instalar-se com a sua família e deu  início à nova vida em terra estrangeira, sem despertar nenhuma atenção para os israelitas que ali viviam. Juntos, os israelitas em país estrangeiro formavam uma associação mais bem estruturada e funcional do que na sua própria pátria, pois, pressionados pelas circunstâncias, precisavam ajudar-se mutuamente para subsistir.

  O tempo foi passando e o exílio determinado pela Providência chegava ao fim. Segundo uma das versões mais prováveis, dois anos após a matança dos inocentes, Herodes morreu depois de  uma doença dolorosa e repulsiva. Livre do tirano, o Anjo apareceu novamente em sonho a José no Egito e lhe disse: “Levanta-te, toma o menino e a mãe e retorna à  terra de Israel... José levantou, tomou o menino e a mãe e foi para a  terra de Israel. Mas, tendo ouvido que Arquelau reinava na Judéia em lugar de seu pai Herodes,  teve receio de ir para lá. Avisado em sonho, retirou-se para as bandas da Galiléia, indo morar numa cidade chamada Nazaré” (Mt 2,20-23). Solicito como sempre, José preparou tudo, pegou o menino e sua mãe e se pôs a caminho em direção da sua terra de origem. Voltar para a sua terra era, sem dúvida, motivo de grande alegria, porém o clima por lá estava tenso e semeado de discórdia e  violência. A política  não andava bem as revoltas e a guerra civil havia causado muitas mortes. Arquelau, que assumira o governo da Judéia em lugar de seu  pai Herodes da mesma forma um tirano, com sede de poder, e sua fama de atrocidades havia chegado também ao Egito. O povo acabava de sair das mãos de um sanguinário e começava a sentir na carne a dureza de um  novo despotismo. José ao tomar conhecimento de todas essas  péssimas notícias, sentiu medo e, como pai, temeu pela vida do menino. Como bom israelita, gostaria de no retorno, passar  por  Jerusalém, visitar o Templo onde ficou distante de seus olhos durante o período de exílio e dar  graças ao Senhor antes de iniciar a sua nova vida em Nazaré, mas novamente Deus fixou os rumos da sua vida, comunicando-lhe que se dirigisse diretamente a Nazaré, evitando assim qualquer risco de vida para  o menino. Os primeiros anos da vida de Jesus haviam sido cheios de intranqüilidade. Agora, na pacata Nazaré, rodeado por seu ambiente familiar, José podia viver  mais sossegado.

  É importante destacar um fato particularmente significativo nesta moldura do exílio. Tanto a ordem de refugiar-se no Egito como de  retornar à pátria não foi transmitida a Maria. E sim a José, o que evidencia o reconhecimento da sua autoridade ou jurisdição paterna sobre Jesus. Neste acontecimento particular, José exerceu plenamente a sua paternidade, a sua missão de chefe da Sagrada Família e esposo de Maria. Nesse fato vemos a sua  participação e colaboração clara e precisa no mistério da redenção. A ele foi confiado o início da nossa redenção, conforme rezamos na oração da coleta da missa do dia 19 de  março. José foi ao mesmo tempo guarda legítimo e natural, chefe e defensor da família divina, ministério que exerceu durante toda a sua vida.

(do site - http://josefologia.blogspot.com.br/2010/08/curso-de-josefologia-cap...)

 

SOBRE O CRISTIANISMO COPTA

Cristianismo Copta

O Cristianismo copta é uma das várias igrejas cristãs existentes pelo mundo, sendo uma das mais antigas da História e particulares em suas origens, já que fora a primeira igreja cristã estabelecida no continente africano. Ao longo dos séculos, a igreja copta se desdobrou em várias outras igrejas de mesma vertente, e hoje possui adeptos em vários cantos do mundo. 
ATUALIDADE CRISTÃ COPTA
São perseguidos:

Papa defende unidade entre católicos e coptas

Orações da Família

TEXTO EM PDF PARA DOWNLOAD
oracoes_familia.pdf
TERÇO DA SAGRADA FAMÍLIA

Vamos rezar pela nossa família e por todas as famílias do mundo! 

Na Cruz: 1 Creio, 1 Pai-Nosso, 1 Ave-Maria 

No Pai Nosso Inicial: Bendita sois por Jesus que nasceu em vós! Santa Família de Nazaré, a vós nos consagramos, guiai, sustentai e protegei nossas famílias no amor. 

Contemplamos a Sagrada Família, obra de Deus. Sagrada Família, rogai por nós e dai-nos vosso exemplo! Jesus, Maria e José, nossa família vossa é… ( 10 vezes ) 

Contemplamos a Sagrada Família em Belém. Sagrada Família, rogai por nós, por todos os casais e convertei-nos! Jesus, Maria e José, nossa família vossa é…(10 vezes ) 

Contemplamos A Sagrada Família no Templo Sagrada Família, rogai por nós e nossos filhos! Jesus, Maria e José nossa família vossa é… ( 10 vezes ) 

Contemplamos a Sagrada Família que foge e regressa do Egito Sagrada Família, rogai por nós, em nossa esperança de sermos santos… Jesus, Maria e José, nossa família vossa é…(10 vezes ) 

Contemplamos a Sagrada Família em Nazaré Sagrada Família, rogai por nossa obediência à Deus! Jesus, Maria e José, nossa família vossa é… ( 10 vezes ) 

Sagrada Família, Jesus, Maria e José exemplo de amor e Santidade, acolhe as súplicas que fazemos, para que imitando-vos o mundo seja uma grande família na qual só reine o amor. 
Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Amém!


CONSAGRAÇÃO DAS FAMÍLIAS

Preparação:

Pelo a sinal + da santa Cruz...

Para que nossa consagração seja mais agradável a Sagrada Família, Jesus, Maria e José, purifiquemos antes nossa alma de pecados e faltas fazendo de todo coração um Ato de contrição.

Ato de Consagração:

Oh! Jesus, Redentor nosso, que havendo vindo a iluminar ao mundo com a doutrina e com o exemplo, haveis querido passar a maior parte de vossa vida, humilde e sujeito a Maria e a José na pobre casa de Nazaré, santificando a aquela família que havia de ser o modelo de todas as famílias cristãs; acolhei benigno a nossa, que agora se dedica e consagra-se a vós.

Dignai-vos protege-la, guarda-la e estabelecer nela vosso santo temor, com a paz e concórdia da caridade cristã, para que imitando o exemplo Divino de vossa família, possa alcançar toda inteira, sem faltar um só, a eterna bem-aventurança. Maria, Mãe de Jesus e Mãe nossa, com vossa piedosa intercessão fazei que seja aceitável a Jesus esta humilde oferenda, e obtende-nos sua graça e benção.

Oh! São José, custodio santíssimo de Jesus e de Maria, socorrei a nós com vossas preces em todas as necessidades espirituais e temporais, a fim de que em união com Maria e convosco, possamos bendizer eternamente a nosso Divino Redentor Jesus. Amém.

Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Oremos:

Deus, Pai nosso, que tens proposto a Sagrada família como maravilhoso exemplo aos olhos de vosso povo: concedei-nos, vos rogamos, que, imitando suas virtudes domésticas e sua união no amor, cheguemos a gozar dos prêmios eternos no lugar do céu. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém.

Concedei-nos, oh! Jesus, Senhor nosso, que continuamente imitemos os exemplos de vossa Sagrada família; para que na hora de nossa morte, acudindo a vossa gloriosa Mãe, a Virgem Maria, com São José, mereçamos ser recebidos por Vós nos eternos palácios do céu. Vós que vives e reinas pelos séculos dos séculos. Amém.

Invocações: 

Jesus, José e Maria, vos dou meu coração e a minha alma.
Jesus, José e Maria, assisti-me em minha última agonia.
Jesus, José e Maria, convosco descanse em paz a minha alma.

Exibições: 925

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Juli em 28 dezembro 2013 às 16:24

Muito obrigada um beijinho de coração

© 2020   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço