Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Exorcista Padre Fortea sugere prisão eclesiástica para padres que se desviaram


Minha foto

José Antonio Fortea Cucurull (Barbastro, Espanha, 1968) é um sacerdote e teólogo especializado em demonologia. Ele estudou teologia para o sacerdócio na Universidade de Navarra.Graduou-se na especialidade de História da Igreja na Faculdade de Teologia de Comillas. Pertence ao presbitério da diocese de Alcalá de Henares (Madrid). Em 1998, ele defendeu sua tese "O exorcismo nos tempos modernos", dirigido pelo Secretário da Comissão para a Doutrina da Fé da Conferência Episcopal Espanhola. Roma está fazendo seu doutorado em Teologia.

..

A TRADUÇÃO É DO GOOGLE, DO ESPANHOL PARA PORTUGUÊS, LOGO, A TRADUÇÃO TEM ERROS.

A prisão eclesiástica (I)

O sacerdócio é uma coisa sagrada que eu acho que aqueles sacerdotes que cometeram crimes graves que os impedem de trabalho pastoral, deve ser realizada (com o seu consentimento), em uma casa especial, fora do país, longe de qualquer população. Uma casa que era dependente da Conferência Episcopal de cada país onde eles poderiam viver sob a orientação de sacerdotes santos.
Claro, que a prisão durante anos em que a casa deve ser feito com o consentimento de todos os interessados. Por exemplo, no caso de pedofilia, estatisticamente falando, certamente teria famílias que gostariam de poupar o constrangimento de um processo penal, desde uma penalidade eclesiástica deste tipo. Se o infractor aceitar renunciar a um civil e família concordaria, esta poderia ser uma boa solução para ambas as partes.
O padre não teria de deixar o sacerdócio. Eu poderia viver o número de anos que for determinado pela autoridade eclesiástica, em um ambiente de oração e trabalho manual. Claro, muitos não aceitaria culpa alguma coisa. Mas um número, sem dúvida, consciente de sua convicção de certeza, que não aceita.
Vivendo nesse clima de oração, penitência, trabalho manual e acompanhado por sacerdotes santos, seria muito preferível para eles para a prisão e deportação. Em alguns casos, os defeitos podem ser uma vez, que a detenção tinha que ser permanente.
Em um país tão grande como os Estados Unidos, pode ter uma casa como trinta ou quarenta sacerdotes. A governar a casa deveria pertencer a uma congregação religiosa que iria oferecer um lugar para viver, não para salvar a ovelha perdida, mas os pastores perdido.
Os sacerdotes podiam crescer jardins, trabalhar em oficinas religiosas, levará algum tempo para estudar. Momentos de oração seria marcado e comunidade, como em um seminário.
Assim, muitos sacerdotes podiam permitir liturgias manteve as horas canônicas, como um diário. A liturgia seria uma das ocupações desta comunidade tão especial.
Os sacerdotes devem vestir-se sacerdote em todos os momentos. E vestido de batina para cada hora canônica.
Se as coisas são feitas direito, mesmo doentes padres aposentados pode querer morar lá. Da mesma forma, se um sacerdote cai, por exemplo, pelo álcool, pode passar algum tempo para superar isso.

A casa grande, com jardins e claustros, pode se tornar um lugar agradável para se retirar sacerdotes, bem como reuniões diocesanas e conferências. 

A prisão eclesiástica (II)

Uma das questões problemáticas levantadas pela casa de que falei ontem, foi a de que um padre acusado de pedofilia, por exemplo, pode chegar a um acordo com a família da criança, e depois de um ano, recusando-se a continuar a viver nesta casa prisão.
Portanto, este tipo de acordo deve especificar que, além de uma compensação financeira, o réu se compromete a estar naquela casa de confinamento os anos que determinar o tribunal eclesiástico. E de outra forma, a família pode levar o caso a tribunal civil. A compensação teria sido pago e não poderia exigir isso, mas o acordo não inclui sanções penais se não cumprir em reclusão total.
Pode parecer ser difícil para uma família aceitar tal coisa. Mas as vantagens de um processo ad-free uma brisa, não poucas. Se a família deseja ter um advogado, não teria de pagar os honorários de um longo processo.
As famílias das vítimas poderia visitar a casa de confinamento, a qualquer momento, sem aviso prévio, e verifique se o infrator mora lá. Poderia ficar naquele desejava ver a luz da vida austera, penitencial, você respirar debaixo daquele teto.
Outro aspecto a considerar é que alguns sacerdotes se reuniram a pena de prisão, estaria em uma idade bastante avançada, a ponto de pensar razoavelmente e não encontrar trabalho ou na sociedade civil. Na situação atual, e pode funcionar como sacerdotes, nem podem encontrar trabalho na sociedade. Os mosteiros novatos permitida após uma certa idade.  Essas casas especiais, daria um lugar para trabalhar e orar até o fim dos dias.
Para os sacerdotes perto de 60 anos, estas casas seria perpétuas lugares penitência. Não porque eles assim o desejassem, mas porque eles não teria nenhuma chance. Sem casa própria, sem remuneração, sem poupança, a pergunta seria para onde ir.
Eu fico pensando que uma vida simples, o trabalho manual, a oração comunitária, a participação nas liturgias mantidos, total isolamento das tentações e com a ajuda e conselhos de sacerdotes santos, é o melhor lugar para este tipo de pastores que se desviaram . 

 

Casas prisionais eclesiásticas (III)

Hoje tivemos ordenações na diocese. I, ao chegar ao claustro da catedral, eu encontrei um sentido de bom senso padre, que me disse que eles não tinham visto caber tanto as mensagens eclesiásticas em matéria de detenção que tinha escrito. Suas palavras me incentivou a escrever algumas explicações para estes dois posts anteriores.
A primeira coisa que você precisa ter em mente é que eu escrevi esses posts de realismo, não de imaginação. Meu conhecimento de sacerdotes com tais crimes é bem acima dos sacerdotes normais.
Então, eu posso garantir que as estatísticas de assentamentos é muito maior do que as pessoas pensam. Por exemplo, nos Estados Unidos, incluindo a maioria dos casos em que se inicia o processo para tribunal geralmente acabam em um assentamento. Na Bélgica, há muitas pessoas que aderiram ao mecanismo de queixa judicial que lançou a Conferência Episcopal. Eles poderiam ter ido ao tribunal, mas optou por outro sistema.Um julgamento público, infelizmente, é muito difícil para a vítima. Tudo o que podemos fazer para economizar mais sofrimento, que assim seja. Depois que o percentual é tão grande que é preciso que os advogados do partido indenizado.É geralmente trinta por cento.
Outro aspecto que seria surpresa para aqueles que têm tentado tão difícil meus posts, você sabe que as convicções não são tão grandes quanto as pessoas pensam. Estive revendo todas as convicções, na Espanha, e a mais longa frase de um padre tinha vinte e um anos. Mas muitos outros têm sido um ano ou dois. Para isto deve ser adicionado dois dias, reduzindo por um na prisão.
A idéia de ter algum grito de raiva quando ele apodrece na prisão, é uma fantasia, que não se aplica a terroristas.
A vantagem da minha proposta é que o pederasta que durante o tempo de prisão é visto que por sua psicologia ainda é um perigo, pode ser seguido a correr na casa de detenção, monitorados e tratados por especialistas. A razão para ficar nessas casas, em muitos casos, ser econômico. Como eu disse, muitos no final da frase se reuniria sem salário, sem casa para morar, e sem perspectivas de encontrar outro emprego. Essas casas não seria apenas uma forma de oferecer-lhes uma vida humana a essas pessoas, mas também uma forma de proteger as vítimas potenciais futuros.
Pois é nessas casas é o lugar onde você iria ver se alguém está realmente reabilitada ou não. Em uma prisão seria muito mais difícil de saber isso.E lembre-se que a taxa de reincidência é muito grande em muitos assuntos, uma vez que sair da prisão.
Mas alguns dos leitores deste blog prefere solto na sociedade para não-reabilitado (a prisão não é exatamente o melhor lugar para ele) com o agravamento de uma situação pessoal de desespero. Tudo o que um cocktail explosivo.
Alguns leitores disseram que o que eu proponho é um privilégio. Para reabilitá-los e manter um olho para alguém é um privilégio. Mas parece que é um privilégio para liberar na sociedade e desesperado.
Não poucos me disseram que um sistema como o que eu proponho é ilegal. É totalmente errado.Um acordo entre a família da vítima, o infrator, sob arbitragem justa e imparcial de um tribunal eclesiástico, é perfeitamente legal. Na verdade, neste universo que eu posso pensar de algumas coisas que são mais legal do que isso.
Outros disseram que era totalmente imaginário.Eu disse que há muitos casos de resolução extrajudicial. E na Bélgica são tantos que abraçaram do jeito que eu mencionei habilitado pela Conferência Episcopal.
A idéia que propus, eu amadureci ao longo dos anos. Há uma sugestão que me ocorreu naquela noite, depois do jantar. Se realizase Igreja, os leigos iria mesmo entrar nessas casas pediria algum tempo para impedir. Ou seja, para libertar-se das correntes antes de cair no delito.

Na frente da minha idéia que é mais de proteção e cumpre integralmente as vítimas da Justiça é a raiva de quem chora a apodrecer na prisão, sem privilégios, e assim por diante.
Mas se eu perder tempo escrevendo mensagens, é para pessoas inteligentes que eu li. Apesar de serem poucos. Eu não escrevo para trolls.

Casas prisionais eclesiásticas (IV)

Ele havia dito em posts anteriores que as casas de reclusão, servir não só para os pedófilos. Considere o caso de um padre alcoólatra.Isso tem que ser acompanhado, tem que viver por um tempo em um lugar sem tentações, mesmo reforçada.
Na verdade, a diferença entre um alcoólatra e um padre pederasta é abismal. Não tem nada a ver um com o outro. A primeira foi lançada sobre ele pela solidão, pela tristeza.
O padre alcoólatra é uma vítima. Mas, além de dizer palavras de encorajamento, devemos ajudar.Este tipo de casas seria perfeito. Residindo em-los por um mês, por alguns meses, o que você vê é preciso.
O padre alcoólica pode ser um verdadeiro apóstolo, um homem de Deus, até mesmo um homem de oração. Vítimas estão sofrendo, não indivíduos do mal. Clérigos alcoólatras poderia ser ajudado tremendamente por padres pedófilos, que são sempre indivíduos pervertidos. Nessas casas a simbiose entre alcoólatras e pedófilos pode ser algo fantástico. Tudo uma experiência de misericórdia.
Sem dúvida, entre os pedófilos têm conversões reais. Aqueles sacerdotes convertidos poderiam receber pessoas que queriam explicar-lhes a razão para suas ações terríveis. Há vítimas, as famílias e as pessoas em geral, que se perguntam o porquê. É como se houvesse uma necessidade de respostas às suas perguntas. Estas reuniões, grupos pessoais ou, faria um trabalho de cura.
Claro que vai ser difícil para a vítima encontrar seu agressor ali. Mas, pelo menos, o padre pode converter pedir desculpas em nome da Igreja.Essas reuniões realizadas como de costume, seria uma forma de pedir desculpas. E isso de uma forma personalizada, assim, com humilhação.
As pessoas podiam ir à igreja todos os dias e ouvir como por trás do muro que divide o coro ea nave, são os sacerdotes rezando as horas canônicas. A presença destes clero penitente em que lugar seria um símbolo para toda a Igreja.
Além disso, a falta de conhecimento sobre este tema tem alguns dos meus leitores (que faz sentido), não sei que muito pela forma como alguns dos clérigos pedófilos são reabilitados.Há muito elevada esta percentagem. Mas há.Vamos perceber, para começar, que um certo número de condenados ao longo da vida nunca foram além do crime de imagens de pedofilia.Reabilitação em certos casos, sem dúvida razoável. 
Eu não estou dizendo que esses sacerdotes reabilitados tem que ir a uma paróquia. Mas que pode cuidar de um atendimento domiciliar de enfermagem, um convento, lidar com arquivos diocesanos de anulações de casamentos, etc, etc.Os sacerdotes da diocese saber o estado do seu parceiro, pode receber um aviso de que um sacerdote não ajuda em qualquer paróquia, mas para reabilitados para viver até o fim de seus dias na sua vocação primeira redescoberto.
Mas, para saber se alguém está reabilitado essas casas são necessários e anos juntos. Em uma prisão não é possível uma coisa dessas.
Ao escrever estas mensagens, eu quase perdi a ir citando casos específicos, alguns dos quais são públicos. Mas, precisamente porque eu sei que nesses casos, isto é, porque eu sei que a terrível realidade de que falo, é por isso que eu digo que estas casas seria de grande utilidade. Mas há casas secretas, mas as casas podem ser visitados por pessoas normais e onde é que estes filhos pródigos curar as feridas que eles fizeram. Casas onde as pessoas podem ouvir (e não ver) como dizem, onde podem conversar em particular com eles, rezar com eles, passar o tempo recuar por alguns dias.
Essas casas faria uma função perdão para toda a Igreja. Perdão dos autores às vítimas. E a concessão do perdão das vítimas antes de um agressor que fala, que personifica, simbolizando todos os agressores.
retirado do blog do Padre Fortea - http://blogdelpadrefortea.blogspot.com.br/
EXCELENTE LIVRO DO PADRE FORTEA:

Svmma Daemoniaca

Tratado de demonologia e manual de exorcistas

Svmma Daemoniaca é resultado de mais de doze anos de trabalho e entrevistas com centenas de exorcistas.

Fazendo uso do sistema de pergunta-resposta e de uma linguagem clara e objetiva, o livro pode ser considerado o mais completo tratado sobre demonologia existente.

O tema abordado vai desde a natureza do demônio e do Inferno, como também da possessão diabólica e, dentre outros, o exorcismo.

São mais de 180 questões que certamente darão desfecho àquelas dúvidas sem resposta.


Sobre o autor:

JOSÉ ANTONIO FORTEA
N
asceu em Barbasto (Espanha) em 1968. É sacerdote e teólogo especializado em demonologia. Pertence ao presbitério da diocese de Alcalá de Henares (Madrid). Em 1998 defendeu a sua tese de licenciatura, ‘O exorcismo na época atual’, orientada pelo secretário da Comissão para a Doutrina da Fé da conferência episcopal espanhola. Ele já esteve no Brasil em outras ocasiões.

Ficha técnica:

SVMMA DAEMONIACA
Tratado de Demonologia e Manual de Exorcistas
Autor: José Antonio Fortea
Copyright: Palavra & Prece Editora
Formato: 16 x 23 cm
Número de páginas: 336
ISBN: 978-85-7763-166-7
Cód. de barras: 9788577631667

- See more at: http://palavraeprece.com.br/livros/svmma-daemoniacatratado-de-demon...

Exibições: 389

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Inocencio Francisco Kroetz em 6 outubro 2013 às 18:35

Obrigado pela informação.

Comentário de Roseane Valle em 6 outubro 2013 às 18:20

Grata

© 2022   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço