Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Hino à Maternidade de Maria

Foste mãe de modo plenamente livre, 
apesar de a tua maternidade ter sido um dom de Deus.

De facto, os dons de Deus são-nos concedidos 
em forma de possibilidades, a fim de os podermos aceitar ou não.


Na verdade, o nosso Deus jamais nos manipula ou violenta. 
Isto quer dizer que Deus, por ser amor, 
propõe-se à pessoa humana, mas nunca se nos se nos impõe.


Assim aconteceu contigo Maria:
Deus convidou-te e tu assumiste de modo consciente e livre 
a tua missão maternal, vivendo-a como uma vocação.

Isto quer dizer que a tua maternidade messiânica 
é fruto de um chamamento de Deus. Tu és, Maria, a mulher fiel!


És a nossa Senhora da gratidão, 
pois respondeste ao chamamento de Deus com o teu “Magnificat”.

Foste uma esposa carinhosa e mãe de doação total. 
E como amaste de coração inteiro, és a Senhora do amor virginal.


Aprofundaste o mistério do teu Filho, meditando as Escrituras. 
Compreendeste o alcance espiritual da sua missão salvadora.

Nunca pretendeste ser a rainha mãe. 
Por isso estavas preparada para orientar os discípulos após a Páscoa.

Estes, ao contrário de ti, pretendiam ser ministros 
do reino terreno do teu Filho (Mc 10, 35-44).

O Espírito Santo encontrou um eco perfeito no teu coração.

Graças à tua fidelidade plena e incondicional, 
o Filho de Deus, no teu seio, tornou-se nosso irmão.

Na verdade, foi no teu seio que o divino se enxertou no humano, 
a fim de todos nós sermos divinizados:

Jesus de Nazaré, o teu Filho, e o Filho Eterno de Deus 
ficaram unidos de modo orgânico, interactivo e dinâmico, 
graças à acção maternal do Espírito Santo.


E foi assim que todos nós fomos beneficiados 
pela tua maternidade, tornando-nos filhos de Deus no teu Filho, 
sendo incorporados com ele na comunhão da Santíssima Trindade.

Ao longo das gerações o teu nome tem sido bendito, 
realizando-se deste modo a profecia de São Lucas o evangelista.

Como a nossa identidade histórica se mantém no Reino de Deus, 
tu foste assumida na Família de Deus como mãe do Messias Salvador.


Tu és, Maria, a Nossa Senhora do sim! 
Na verdade, tu és bendita entre todas as mulheres…

No acontecimento histórico de Jesus Cristo 
o teu amor maternal interagiu com o Espírito Santo que é o amor maternal de Deus.

Isto quer dizer que o divino se enxertou no humano 
graças à acção do Espírito Santo e ao teu sim incondicional.

Por teres amado de coração inteiro,
foste assumida na plenitude máxima da vida. 

Bendita sejas, Maria, por teres tomado Deus a sério. 
Foi também com este jeito que preparaste o coração do teu Filho 
para a sua doação total a Deus e ao Homem.

Com seu jeito maternal de amar, o Espírito Santo 
optimizou o teu amor maternal, conferindo-lhe esse jeito divino de amar.


E foi assim que no teu seio, o Céu se uniu à Terra! 
Viveste a tua maternidade como um serviço a Deus e à Humanidade.

Sob o teu olhar maternal, o teu Filho crescia e ia sendo consagrado,
 isto é, optimizado, pela acção do Espírito Santo 
cuja plenitude o habitava (Lc 4, 18-21).

Através de ti Deus concedeu aos homens 
a melhor dádiva que tinha para lhes dar.

Maria,
Tu és realmente Bendita entre todas as mulheres!

Em Comunhão Convosco

Calmeiro Matias

Fonte: http://calmeiro-matias.blogspot.com.br

Exibições: 110

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

© 2019   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço