Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Mal entendidos que nos afastam da Igreja - "Ela não conseguiu ser batizada"

Ontem, passeando pelo facebook encontrei este relato de uma moça sobre sua tentativa fracassada em ser batizada na Igreja Católica. Não vou colocar aqui o nome dela (não a conheço) mas apenas o seu desabafo.

Por ter sido mal orientada ela e seus padrinhos passaram por uma situação constrangedora!

"Oi amigos do face, vim compartilhar com vocês uma lamentavel situaçao que aconteceu comigo.Para quem não sabe não fui batizada quando criança porque 3 padres se recusaram batizar uma filha de mãe solteira, então a alguns dias uma amiga que ia batizar seu filho me convidou para batizar tambem, uma outra amiga foi marcar o batizado explicou a situaçao para a secretaria que consultou uma outra pessoa que se diz responsavel pelo batizado que a respondeu que não teria problemas e que eu poderia sim ser batizada.Na quinta feira fui ate a igreja Nossa senhora do perpetuo socorro junto com minha mãe e meus padrinhos para prenchermos a ficha de batismo, conversamos com outra pessoa que tambem se diz responsavel.pelo batizado que também não viu problemas nenhum em eu ser batizada aos 24 anos e ainda disse que seria bom pois eu escolhi meus padrinhos.
Na sexta feira passamos por outra pessoa que também se diz saber tudo sobre batizado que também não me disse que teria qualquer problema.
Então no domingo ja estava tudo pronto, vestido,almoço,amigos e familiares convidados a participar junto de mim desse momento que eu achava ser importante.
Cheguei na igreja na hora marcada,Ja estava sentada ao banco destinados aos que iriam batizar quando uma outra pessoa disse que o Frei estava nos chamando,chegando la foi e perguntou quem foi que disse que eu poderia ser batizada naquele dia,respondi que tinha feito toda a preparaçao que haviam me dito que seria preciso,ele foi toltamente sem educaçao e sem amor ao proximo,quando me disse que não seria batizada de jeito nenhum,tentamos conversar com ele mais não teve jeito ele estava transtornado,e para completar ouvimos da boca dele que eu e minha familia poderiamos ir embora pois não havia "clima" para fircamos ou seja fui expulsa da igreja neh!!
Conversei com as mesmas pessoas que " me prepararam " e um joga a responsabilidade para o outro .Só queria me tornar uma cristã perante a Deus e passei a maior vergonha da minha vida, e nem um pedido de desculpa me foi feito
.Pedi para secretaria minha ficha e a folha de presença e como eu previa o tal do Frei deu um jeitinho para que não.chegasse em minhas mãos,ou seja esta tentando sumir e abafar essa total falta de respeito com o semelhante.Não desejo para ninquem o que passei e não vou deixar isso assim.
Desculpem o desabafo mais queria que mais pessoas soubessem da falta de competência dos responsáveis da Igreja Nossa Senhora Perpetuo Socorro no bairro Monte Castelo."

Certamente ela não fez o Catecumenato - a preparação anterior necessária para o Batismo de uma pessoa  adulta e infelizmente os responsáveis (leigos) não souberam orientá-la para isso.

Sendo o batismo necessário para a Salvação o demônio odeia quando alguém é batizado e, no caso de um adulto, deve odiar ainda mais! Logo, tudo que ele puder fazer para atrapalhar, ele fará!
Recordo-me quando meu filho Raphael, então com 9 anos, foi batizado. Antes ele passou pela preparação; uma irmã salesiana chamada Geni - que Deus a tenha - preparou-o com o maior carinho. Uma vez por semana eu levava Raphael para a aulinha que acontecia só para ele, no convento das irmãs salesianas em Niterói. Eu na época não era casada na Igreja e essa minha condição não impediu que ele fosse batizado.
Dias antes do Batismo eu notei que havia um mendigo que ficava na esquina de casa...ele era bem sujinho...e toda vez que ele me via com o Raphael ele saía correndo. Então, no dia anterior do batismo eu saí com o Raphael e avistei o mendigo sujo. Ele nos viu e saiu correndo para se jogar numa poça de água suja e lá ele começou a jogar esta água suja nele e a rir. Eu olhei aquilo e imediatamente entendi. O pobre do mendigo era um endemoniado e estava debochando do Batismo que Raphael receberia!
Interessante...então, quando li o relato desta jovem lembrei de imediato disso.
Oremos por esta jovem para que seus caminhos se abram e que ela não desista de ser Batizada!
Que Nossa Senhora do Perpétuo Socorro seja sua intercessora!
CATEQUESE SOBRE O BATISMO DE ADULTOS:

Segundo o plano de amor do Senhor, o batismo é necessário para a salvação.

O que é o batismo?

É o sacramento pelo qual nascemos para a vida e nos tornamos filhos de Deus.

Por que o batismo é o primeiro dos sacramentos?

É o primeiro dos sacramentos porque é a porta que dá acesso aos demais sacramentos, e sem ele não se pode receber nenhum outro.

Que efeitos produz o batismo?

Os efeitos que o batismo produz são: perdoa o pecado original, e qualquer outro pecado, com as penas devidas por eles. Nos dá as três divinas pessoas junto com a graça santificante. Infunde a graça santificante, as virtudes sobrenaturais e os dons do Espírito a graça santificante, as virtudes sobrenaturais e os dons do Espírito Santo. Imprime na alma o caráter sacramental que nos faz cristãos para sempre e somos incorporados à Igreja.

O Batismo é necessário para a salvação?

Segundo o plano do Senhor o batismo é necessário para a salvação, assim como a própria Igreja, à qual o batismo introduz.

Quem pode batizar?

Ordinariamente podem batizar o bispo, o sacerdote e o Diácono, mas em caso de necessidade qualquer pessoa que tenha intenção de fazer o que a Igreja faz.

Como se batiza?

O batizado se realiza derramando água sobre a cabeça e dizendo: "Eu te Batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

O que é o Catecumenato?

É a preparação que devem receber aqueles que serão batizados tendo alcanço o uso da razão.

RITO DO BATISMO PARA ADULTOS

1. Início do catecumenato (1°. passo) A primeira cerimônia é a admissão dos candidatos como "catecúmenos. Realiza-se fora, à porta da igreja. Já é em si, um sinal. Também a estola roxa do celebrante significa algo: estar a caminho (O roxo é a cor do Advento e da Quaresma). Do mesmo modo, serão significativas as cerimônias que se seguem, com todos os seus pormenores. Tudo é imagem, figura, símbolo. Lugar, cor, gesto, material... tornam-se expressivos, eloqüentes. Não é preciso ter-se estudado par entender tudo isso.

A recepção começa por uma pergunta: "Como te chamas?" A segunda pergunta reza: "Que queres?". A resposta é tremenda nos lábios de um homem mortal: "O que é necessário para eu possuir a vida eterna!". Em primeiro lugar, pois, a fé. O candidato vem porque já tem fé e, no entanto, pede a fé! Tem isso semelhança com a oração do Evangelho: "Creio, Senhor, mas aumentai minha fé" (Mt 9, 24). Significa que a fé é, em última instância, algo que se recebe, um dom, não fruto da atividade própria. Depois de uma palavra que alude também às obras, segue-se uma interrogação sobre as disposições. O celebrante faz, então, o gesto pascal de Jesus: Sopra sobre o batizado e ordena ao espírito maligno ceder seu lugar ao Espírito Santo.

Semelhante exorcismo voltará várias vezes na cerimônia. Manda que vá embora o mal que ameaça o homem. Em lugar do nome impessoal "mal" usa-se sempre o nome pessoal "demônio". Com isso, indica-se também qualquer mal, quer por influência dos pecados dos outros, quer pelas próprias inclinações más, ou pelos erros anteriores praticados contra Deus. Toda a solenidade é bastante vigorosa: A luz encontra-se em face das trevas. Com toda razão. Pois, esse sinal sacramental é uma breve, porém, intensa vivência, de um pedaço de história de vida. A luta da vida, a contínua conversão do batizado, é recapitulada com brevidade e profundidade bíblicas, sem meias-tintas: Os momentos de tentação, encruzilhada, trevas, desesperança que já houve no passado e que haverá no futuro - e em oposição a tudo isso, cada vez: A paz de Deus, bondade, alegria. Em suma: expulsão do espírito maligno - recepção do Espírito bom.

O rito continua. O celebrante faz o sinal da cruz na fronte, nos ouvidos, nos olhos, no nariz, na boca, no peito, nas espáduas do batizando. Todo o corpo é compenetrado da luz da santa cruz. O gesto é acompanhado de votos e orações. Neste primeiro contato, a Igreja não pode dar ainda a Eucaristia, mas, oferece um pouco de sal. Significa o combate à corrupção e também que as coisas de Deus possuirão sabor agradável: Sal sapientiae. Há, enfim, também algo no sentido de provocar sede, desejo de água. Aqui se despede, então, o batizando: Começa o catecumenato, que pode durar, às vezes, vários anos.

2. Proclamação da fé - novo exorcismo (2° passo) - A segunda cerimônia começa, novamente, por uma representação simbólica da luta entre Deus e o Demônio, no homem. O batizando reza o Pai-Nosso e é marcado com o sinal da cruz pelo padrinho ou pela madrinha e pelo celebrante. Conjura-se o mal para que se afaste. Em seguida, é o batizando introduzido na igreja, onde passa alguns momentos em ação de graças.

A seguir, proclama alto a sua fé, recitando o Símbolo dos Apóstolos, seguido do Pai-Nosso. (Já chama a Deus de "Pai"!). O que se passou num processo interno e em lições fechadas, proclama-se, agora, diante da comunidade e de Deus. Um limiar que pode inspirar medo! Mas isto faz parte do sacramento. Nele Cristo fala ao homem, mas o homem deve responder audivelmente, no meio da comunidade eclesial: O sacramento é diálogo.

Depois da resposta do batizando, é novamente a vez de Cristo, através da boca e da mão da Igreja, representadas pelo sacerdote celebrante. Após novo exorcismo. Repete-se o lindo gesto de Jesus, que tocava com saliva os ouvidos do surdo. Não eram os milagres de Jesus, realmente, sinais de cura profunda que Ele realiza aqui? O gesto é acompanhado da palavra: "Effeta", isto é: "Abre-te". Tocam-se, também, as narinas: Para se poder receber o suave odor de Cristo.

No final da solenidade, o batizando eleito é ungido entre as espáduas. faz-se isto com óleo dos catecúmenos, que simboliza a flexibilidade e vigor para o combate. Também isto é resposta de Cristo, pelo sinal sensível de sua Igreja: força para perseverar.

3. Finalmente o Batismo - Entretanto, ainda não se efetuou o principal: o batismo. Pode ser recebido em qualquer hora, de qualquer dia ou noite ou noite do ano. Uma noite, porém, é especialmente escolhida para esta cerimônia: A noite em que Jesus ressuscitou para a vida eterna. Por isto é que nessa noite se canta, jubilosamente, sobre a água batismal, em que esta é consagrada para a sua destinação. Sim, é com água que se batiza! O Exultet, essa oração cantada bem alto na noite pascal, folheia toda a Bíblia, para tomar consciência do sentido tremendo desse elemento: Desde as águas primordiais, sobre as quais pairava o Espírito criador e vivificador de Deus, passando pelas correntes do dilúvio e do Mar Vermelho, até a água que jorrou do lado de Jesus no alto da cruz.

Esse mesmo elemento, o mais maternal de todos os elementos foram por Deus predestinado para ser igualmente o sinal eficaz de nosso conhecimento celeste. "Queira, suplicamos o Espírito Santo, pela efusão secreta de suas virtudes, fecundar esta água, destinada a regenerar os homens, a fim de que, do seio puríssimo desta fonte divina, saia nova geração celeste, concebida por santificação, renascida numa criatura nova" (canto de consagração da água batismal na noite pascal).

Imediatamente antes do batismo, o celebrante pergunta, mais uma vez, pela fé do batizando. Segue-se, então, a interrogação formal, se ele veio por própria e livre vontade: "Quereis ser batizado?" Só depois desta pergunta positiva do catecúmeno, é derramada sobre ele a água batismal, enquanto ressoam as palavras do celebrante: "Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28, 19). A água diz "nascimento"; a palavra indica "qual o nascimento": Que o Espírito Santo vem habitar em nós, dando-nos vida, e transformando-nos em filhos e filhas do Pai. Logo depois do batismo, faz-se a unção com crisma, cujo odor simboliza o Espírito Santo.

Pelo Espírito santificador em nós, entramos e permanecemos em Cristo, como também Cristo entra e permanece em nós. Pelo mesmo Espírito, ficamos cheios da graça santificadora.

CONCLUSÃO

Nós, batizados em Cristo, declaramo-nos solidários com o seu caminho: Serviçalidade, pequenez, humildade, obediência até a morte. Aceitamos o nosso batismo de vida, enfim, a morte. A nossa morte é o nosso batismo, no sentido mais próprio. Dizemos "sim" a ela, como Jesus, com Jesus e por Jesus. Pois, se o Senhor nos salvou, não significa, afinal de contas, que Ele nos tornou isentos de sofrimentos. Significa que podemos colaborar com Ele para nos salvar a nós e aos outros, e fazê-lo da mesma maneira que Ele. Esta maneira, Jesus explicou-a com as palavras: "Podeis vós beber o cálice que eu vou beber e ser batizados no batismo em que eu vou ser batizado?" (Mc 10, 38).

Talvez haja quem ache sombria essa idéia no dia alegre do Batismo: Ser consagrado à morte! Mas pode haver maior consolação? A nossa vida que vai morrendo, poderá, com Jesus, ser fecunda, em vez de absurda. Deus tornou as dores da humanidade dores de parto de vida nova. Se a água em que entramos é sinal de morte, quando dela surgimos, torna-se sinal de ressurreição e nascimento. Por isso, a noite pascal, sumamente alegre, é a noite do batismo.

Exibições: 876

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Elizabeth Pereira Teles em 12 março 2014 às 21:22

Na verdade não é a religião católica que as vezes falha, são pessoas , padres, freis,bispos, sacerdotes etc. Que se acham muito superiores ou acham que sabem tudo. Fui batizada por minha avó,católica praticante, dois dias de nascida, por que corria o risco de não sobreviver, depois de algum tempo depois foi feita a confirmação na igreja. 

Comentário de Regina Maria em 28 fevereiro 2014 às 18:39

É...estamos todos aprendendo.

Que chato o Padre ter largado o Sacerdócio, oremos para que esteja bem e feliz e...na Igreja!

Comentário de MARIA JOSE MONIZ em 28 fevereiro 2014 às 18:39

Ainda a pouco o Papa Francisco criticou fortemente essa atitude que sucedeu com a jovem. Ate disse que nao devia haver "fiscais" na igreja que complicam a vida aos fieis, nem alfandegas na Igreja. E ate se ofereceu para batizar quando algum sacerdote se nega-se. NUNCA  POR NENHUMA RAZAO NEGAR O BATISMO A NINGUEM.

Comentário de Maria Aparecida Ricardo em 28 fevereiro 2014 às 18:29

Concordo com muitos dizeres aí em baixo! Realmente igrejas de outras religiões estão cheias mesmo!

Muitas delas tem regras muitos flexíveis. Conheço umas pessoas que já se casaram até quatro vezes nessas igrejas. Casa, separa, casa....Batiza, batiza e rebatiza... Realmente não é fácil ser Católico Apostólico Romano. Eu mesma estou longe de ser uma católica a quem você que está lendo poderia imitar. Mas com a graça de Deus poderei sê-lo, quem sabe, um dia. Que a paz de Jesus esteja no coração de todos. 

Comentário de Maria Aparecida Ricardo em 28 fevereiro 2014 às 18:22

Quem somos nós para julgar? Principalmente quando não presenciamos o fato?  Muitas pessoas pensam que os sacerdotes podem tomar atitudes ou concordar com posturas contrárias às regras da Igreja. Eles fizeram votos de obediência. Ninguém pediu minha opinião, mas já a manifestando,  me parece que a moça foi mal informada dos procedimentos de preparação para o batismo. O padre não teve culpa.  Simplesmente o sacramento do batismo não podia ser feito sem a preparação pelo fato dela já ser adulta. Diante da surpresa foi natural que os ânimos tenham sido exaltados. Quando entramos para um clube, aceitamos as regras. Somos nós que temos que nos adaptarmos às regras da Igreja, não a Igreja se adaptar à nós.  Quem quer o batismo verdadeiramente lutará por ele e usará de todos os obstáculos para chegar à ele mais purificado.  Recado para Ricardo T. M. : Não acredito que o Padre julgou seus pais. Ele apenas fez o que determinava a igreja. Quanto a ao padre largar a batina e se casar, é um direito dele. Não tem nada a ver com ele, antes ter negado o batismo a você. Agradeço pela postagem. Eu não conhecia o catecumenato. Para mim foi uma verdadeira catequese. Li com muita atenção e carinho. Fiquei imaginando eu sendo batizada! Recebi essa graça de Deus e do Espírito Santo. Beijos a todos.

Comentário de Ricardo T. M. em 28 fevereiro 2014 às 13:34

Tb tenho uma história pra contar: quando eu era bebê, o padre da paróquia não aceitou me batizar pq meus pais não eram casados. Mas graças a Deus eu fui batizado em outra cidade, o frei que me batizou não ligava pra esse fato e nem para o fato dos meus padrinhos serem protestantes (isso mesmo). Pois bem, passados alguns anos, sabe o que aquele padre da minha cidade fez?sabe? LARGOU A BATINA E SE CASOU! Pois é...... e aí que eu pergunto: quem era ele para julgar meus pais (e outros também) daquela forma??? não é a toa que as igrejas evangélicas estão cheias.....

 

QUE A PAZ DE DEUS ESTEJA COM TODOS AGORA E SEMPRE, E VIVA JESUS!

Comentário de Lina Gouveia em 28 fevereiro 2014 às 10:26

Irei orar por esta nossa Irmã e também pelo Frei, para que ele abra o seu coração e se torne mais sensível à aproximação do seu semelhante à presença de Deus.

Comentário de Regina Maria em 28 fevereiro 2014 às 7:14

Acredito sinceramente que devemos orar por todas as pessoas que são impedidas de retornarem e/ou ingressarem no seio da Igreja Católica pelas investidas do maligno. 

Provavelmente o Frei que se negou batizá-la naquele momento agiu assim porque para batizar adultos o procedimento é outro. Depois, seguiu-se uma discussão, bate boca, e não havia mais clima mesmo.

Divulguei o ocorrido apenas para ilustrar uma situação sobre algumas dificuldades que os afastados encontram para se tornarem católicos.

Já ouvi muitas histórias tristes...

Rezem pelos afastados!

Comentário de N oémia Godinho em 27 fevereiro 2014 às 18:13

 Boa noite, não tenho Face presentemente. Perante tal desabafo, é triste verificar que existem pessoas que se julgam detentoras do SABER!  O pároco deve ser o primeiro a ser informado. o que parece não ter acontecido. De facto a irmã tem razão é necessário fazer o Catecumenato antes de receber o sacramento do Batismo. Depois se algo não deu certo e o Frei não foi um bom servo de Jesus Cristo, a jovem deveria ser encaminhada para o bispo dessa Diocese. Quem tiver acesso à conta dessa jovem poderá com caridade e amor mostrar-lhe que "por morrer uma andorinha não acaba a Primavera". Aqui em Portugal, quando há situações menos justas, a pessoa pode sempre recorrer a outra paróquia se aí poder ser assim, podem aconselhá-lha a dirigir-se a uma outra paróquia. Abraço, Paz e Bem!

Comentário de jose geraldo ribeiro em 27 fevereiro 2014 às 17:10

Meus irmãozinhos, não vou debater o ocorrido, e como eu não tive acesso ao post dessa irmã no face, somente posso postar comentarios, e nada de concreto.

Eu sugiro que as pessoas que tiveram acesso ao post no face , entrassem em contato com essa irmã e a orientasse ou mesmo encaminhasse ela a uma paroquia que realmente tivesse um sacerdote apostolo de Cristo, pois nada, nada mesmo justifica a atitude desse Frei.

Fico muito triste quando leio essas coisas, então por favor, quem puder ajudar concretamente, encaminhe essa irmã para outra paroquia.

abraço a todos e que Deus os abençõe e que Maria interceda por nos nesses tempos 

© 2019   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço