Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Padre excomungado por desobediência a Igreja Católica

Comunicado ao povo de Deus da Diocese de Bauru sobre o Rvedo. Pe. Roberto Francisco Daniel 29/04/2013

Comunicado ao povo de Deus da Diocese de Bauru

É de conhecimento público os pronunciamentos e atitudes do Reverendo Pe. Roberto Francisco Daniel que, em nome da “liberdade de expressão” traiu o compromisso de fidelidade à Igreja a qual ele jurou servir no dia de sua ordenação sacerdotal. Estes atos provocaram forte escândalo e feriram a comunhão eclesial. Sua atitude é incompatível com as obrigações do estado sacerdotal que ele deveria amar, pois foi ele quem solicitou da Igreja a Graça da Ordenação. O Bispo Diocesano com a paciência e caridade de pastor, vem tentando há muito tempo diálogo para superar e resolver de modo fraterno e cristão esta situação. Esgotadas todas as iniciativas e tendo em vista o bem do Povo de Deus, o Bispo Diocesano convocou um padre canonista perito em Direito Penal Canônico, nomeando-o como juiz instrutor para tratar essa questão e aplicar a “Lei da Igreja”, visto que o Pe. Roberto Francisco Daniel recusa qualquer diálogo e colaboração. Mesmo assim, o juiz tentou uma última vez um diálogo com o referido padre que reagiu agressivamente, na Cúria Diocesana, na qual ele recusou qualquer diálogo. Esta tentativa ocorreu na presença de 05 (cinco) membros do Conselho dos Presbíteros.

O referido padre feriu a Igreja com suas declarações consideradas graves contra os dogmas da Fé Católica, contra a moral e pela deliberada recusa de obediência ao seu pastor (obediência esta que prometera no dia de sua ordenação sacerdotal), incorrendo, portanto, no gravíssimo delito de heresia e cisma cuja pena prescrita no cânone 1364, parágrafo primeiro do Código de Direito Canônico é a excomunhão anexa a estes delitos. Nesta grave pena o referido sacerdote incorreu de livre vontade como consequência de seus atos.

A Igreja de Bauru se demonstrou Mãe Paciente quando, por diversas vezes, o chamou fraternalmente ao diálogo para a superação dessa situação por ele criada. Nenhum católico e muito menos um sacerdote pode-se valer do “direito de liberdade de expressão” para atacar a Fé, na qual foi batizado.

Uma das obrigações do Bispo Diocesano é defender a Fé, a Doutrina e a Disciplina da Igreja e, por isso, comunicamos que o padre Roberto Francisco Daniel não pode mais celebrar nenhum ato de culto divino (sacramentos e sacramentais, nem mais receber a Santíssima Eucaristia), pois está excomungado. A partir dessa decisão, o Juiz Instrutor iniciará os procedimentos para a “demissão do estado clerical, que será enviado no final para Roma, de onde deverá vir o Decreto .

Com esta declaração, a Diocese de Bauru entende colocar “um ponto final” nessa dolorosa história.

Rezemos para que o nosso Padroeiro Divino Espírito Santo, “que nos conduz”, ilumine o Pe. Roberto Francisco Daniel para que tenha a coragem da humildade em reconhecer que não é o dono da verdade e se reconcilie com a Igreja, que é “Mãe e Mestra”.

 

Bauru, 29 de abril de 2013.

 

Por especial mandado do Bispo Diocesano, assinam os representantes do Conselho Presbiteral Diocesano.

Resposta do Padre:

foto do Padre no facebook

Oração pelos Sacerdotes

Senhor Jesus, presente no Santíssimo Sacramento do Altar, que vos quisestes perpetuar entre nós por meio de vossos sacerdotes, fazei com que suas palavras sejam somente as vossas, que seus gestos sejam os vossos, que sua vida seja o fiel reflexo da vossa. Que eles sejam os homens que falem a Deus dos homens e falem aos homens de Deus. Que não tenham medo de servir, servindo a Igreja como ela quer ser servida. Que sejam homens, testemunhas do eterno nosso tempo, caminhando pelas estradas da história com vosso mesmo passo e fazendo o bem a todos. Que sejam fiéis aos seus compromissos, zelosos de sua vocação e de sua entrega, claros reflexos da própria identidade e que vivam com alegria o dom recebido. Tudo isso vos peço pela intercessão de vossa Mãe Santíssima: ela que esteve presente em vossa vida, esteja sempre presente na vida dos vossos sacerdotes.

Amém.

HORA DE
ORAÇÃO PELOS
SACERDOTES

baixar aqui

Exibições: 426

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Bety Costa em 2 maio 2013 às 22:44

Regina, de repente a letra ficou miudinha lá em baixo. Será que você consegue corrigir? Se puder, vai ajudar na leitura. Obrigada, e fique com Deus. 

Comentário de Bety Costa em 2 maio 2013 às 22:38

Sanjosemaría Escrivá de Balaguer, Monsenhor Escrivá, como era chamado o sacerdote espanhol, escritor finissimo, fundador da Opus Dei, canonizado por João Paulo II,  fala em suas homilias publicadas em "Amigos de Deus" e "É Cristo que passa", que a soberba é um vício muito mais grave que o da carne. "Porque este vício, uma vez arraigado, influi em toda a existência do homem, até se converter no que São João chama a superba vitae, a soberba da vida". ("Amigos de Deus"; Edições QUADRANTE; pg 76, 99:"A soberba, o inimigo)

"Esse é o pecado capital que conduz ao endeusamento mau. A soberba leva-nos a seguir - mesmo nas questões mais triviais - a insinuação apresentada por Satanás aos nossos primeiros pais: "Abrir-se-ão os vossos olhos e vó sereis como Deus, conhecedores do bem e do mal". Lê-se também nas Escrituras que o princípio da soberba é afastar-se de Deus. Porque este vício, uma vez arraigado, influi em toda a existência do homem, até se converter no que São João chama a superbia vitae, a soberba da vida" (I João II,16)

Soberba? De quê? A Escritura Santa estigmatiza a soberba com acentos trágicos e cômicos ao mesmo tempo: - "De que te ensoberbeces, pó e cinza? Já em vida vomitas as entranhas. Uma ligeira doença, e o médico sorri: o homem que é rei amanhã estará morto". (Eclesiástico, 10,9) 

Quando o orgulho se apossa da alma, não é de estranhar que venham atrás todos os vícios, como que em fila: a avareza, as intemperanças, a inveja, a injustiça. O soberbo tenta inutilmente destronar Deus - que é misericordioso para com todas as criaturas - , a fim de se instalar ele no sólio divino, ele que atua com entranhas de crueldade. 

Temos que pedir ao Senhor que não nos deixe cair nesta tentação. A soberba é o pior e mais ridículo dos pecados. Se consegue atazanar alguém com suas múltiplas alucinações, a pessoa atacada veste-se de aparência, enche-se de vazio, empertiga-se como o sapo da fábula, que inchava o bucho, presunçosamente, até que explodiu. A soberba é desagradável, mesmo humanamente: quem se considera superior a todos e a tudo, está continuamente contemplando-se a si próprio e desprezando os outros, e estes correspondem-lhe escarnecendo de sua vã fatuidade.   

Ouvimos falar de soberba, e talvez imaginemos uma conduta despótica, avassaladora: grandes ruídos de vozes que aclamam, e o triunfador que passa, como um imperador romano, debaixo dos altos arcos, fazendo menção de inclinar a cabeça, porque teme que a sua fronte gloriosa toque o branco mármore. 

Sejamos realistas: essa soberba só tem lugar numa imaginação tresloucada. Nós temos que lutar contra outras formas mais sutis, mais frequentes: o orgulho de preferir a excelência própria à dos outros; a vaidade nas conversas, nos pensamentos e nos gestos; uma suscetibilidade quase enfermiça, que se sente ofendida com palavras e ações que de modo algum significam um agravo.  

Tudo isto é que pode ser e é uma tentação comum. O homem considera-se a si próprio como o sol e o centro dos que estão ao seu redor. Tudo deve girar em torno dele. E, com a sua preocupação mórbida, não raramente recorre até á simulação da dor, da tristeza e da doença: para que os outros cuidem dele e o mimem. 

A maioria dos conflitos em que se debate a vida interior de muita gente é fabricada pela imaginação: é que disseram ..., é que podem pensar..., é que não me consideram... E essa pobre alma sofre, pela sua triste fatuidade, com suspeitas que não são reais. Nessa aventura infeliz, a sua amargura é contínua, e procura produzir desassossego nos outros: porque não sabe ser humilde, porque não aprendeu a a esquecer-se de si própria para se dar generosamente ao serviço dos outros por amor a Deus". 

.....................................

Mais adiante, no capitulo "A Relação com Deus", Sanjosemaría fala-nos de uma atitude profunda da alma que pode nos restaurar um brio novo em nosso esforço diário por nos aproximarmos do Senhor, desde que a soberba não nos impeça :

" ... existe uma grande diferença entre uma criança e uma pessoa mais velha, quando caem. Para as crianças, a queda geralmente não tem importância: tropeçam com tanta frequência!

Vede, porém, o que acontece quando quem perde o equilíbrio e cai de bruços ao chão é um homem adulto. Se não fosse pela compaixão, provocaria riso. 

Na vida interior, a todos nos convém ser quasi modo geniti infantes, como crianças recém-nascidas, que até se divertem com os seus tombos, porque logo se põem de pé e continuam com as suas correrias; e porque também não lhes falta - quando é necessário - o consolo de seus pais.   

Se procurarmos comportar-nos como eles, os tropeções e fracassos na vida interior - aliás, inevitáveis - nunca desembocarão na amargura. Reagiremos com dor, mas sem desânimo e com um sorriso que brota, como água límpida, da alegria da nossa condição de filhos desse Amor, dessa grandeza, dessa sabedoria infinita, dessa misericórdia que é o nosso Pai. Durante meus anos de serviço ao Senhor, aprendi a ser filho pequeno de Deus. E o mesmo peço a todos vós: que sejais quasi modo geniti infantes, como crianças recém-nascidas, crianças que desejam a palavra de Deus, o alimento de Deus, a fortaleza de Deus, para se comportarem no futuro como homens cristãos.

Sede muito crianças! E quanto mais, melhor. É o que vos diz a experiência deste sacerdote, que teve que levantar-se muitas vezes ao longo destes trinta e seis anos, em que vem procurando cumprir uma vontade precisa de Deus. Uma coisa me ajudou sempre: continuar a ser criança e meter-me continuamente no regaço de minha Mãe e no Coração de Cristo, meu Senhor.

As grandes quedas, as que causam sérios estragos na alma, e algumas vezes com resultados quase irremediáveis, procedem sempre da soberba de nos julgarmos pessoas crescidas, auto-suficientes. Nesses casos, predomina na pessoa uma espécie de incapacidade para pedir assistência a quem a pode proporcionar: não apenas a Deus, mas também ao amigo, ao sacerdote. E aquela pobre alma, isolada na sua desgraça, afunda-se na desorientação, no descaminho.

Supliquemos a Deus, agora mesmo, que jamais permita que nos sintamos satisfeitos, que aumente sempre em nós a ânsia do seu auxílio, a sua palavra, do seu Pão, do seu consolo, da sua fortaleza: rationabile, sine dolo lac concupiscite, desejai ardentemente o leite do espírito, sem mistura de fraude: fomentai a fome, a aspiração de ser como crianças. Convencei-vos de que é a melhor forma de vencer a soberba. Persuadi-vos de que é o único remédio para que a nossa conduta seja boa, seja grande, seja divina. "Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e vos tornardes como meninos, não entrareis no reino dos céus". (Mateus 18:3)    

Comentário de Anete Soares em 2 maio 2013 às 19:23

Desde o inicio do cristianismo ate os dias de hoje continua os conflitos.

De fato o dogma dever ser dialogado na mais pura liberdade e respeito que confere o proprio Cristo.

Ser dogmatico e ser fundamentalista.

Esse padre me fez pensar sobre a hipocrisia que ele na qualidade de Padre pode observar.

Eu nao chamo de hipocrisia, porque vejo em cada um passo ,mesmo que pequeno em busca

da fe.

As novas ideas devem ser bem vindas e analisadas, contudo nao significa necessariamente que serao implantadas,

Certo que somos pobres pecadores e fracos dentro da igreja , certo que o ideal seria termos Cristaos fortes e resolvidos ,mas a realidade e hostil e devemos enfrenta la sem esmorecer.

Ideal seria Cristaos mais fortes, mais dispostos, cheios de fe.

Ideal seria tambem sacerdotes curando , ressucitando mortos e com conduta e fe inabalaveis.

Ideal seria que a humanidade fosse Crista, mas a realidade e que 1 terço da humanidade e Crista

e dividida em varias facçoes e ideas e ideais humanos, onde encontramos tantas apariçoes e avisos Marianos nos quais podemos constatar lagrimas de sangue. Porque tudo isso?

Quando colocaremos nossas intençoes . pretençoes,opinioes, inclusive essa minha propria opiniao à parte, e pediremos com toda convicçao:

"Pai nosso .....seja feita a tua vontadade assim na terra como no ceu...

Santa Maria Mae de Deus rogai por nos!

Comentário de Ely Maria C.Mendonça em 30 abril 2013 às 18:25

Comentário de Bety Costa em 30 abril 2013 às 15:16

Menos um ótimo padre para a Igreja católica do Brasil. Que pena.

Comentário de Ana Beatriz em 30 abril 2013 às 11:54

Adorei esse último vídeo do padre Fada San. Obrigada por compartilhar!

Comentário de Regina Maria em 30 abril 2013 às 10:50

Novo vídeo do Padre. 

Comentário de Bety Costa em 30 abril 2013 às 10:26

Grata, muito grata a quem postou a Oração. Amansou meus sentimentos de revolta contra o clero insano.  Bjs no coração de todos vocês, orantes sinceros do Aveluz.  

© 2019   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço