Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

A Direção Espiritual Católica

O que é direção espiritual?
                Etimologicamente, a palavra direção vem de diregere, verbo latino que significa dar uma direção, orientar, guiar, movimentar para uma determinada meta. Dirigir e governar indica autoridade ética, moral e profissional daquele que exerce um cargo específico.
                 Palavra “direção”, ou “diretor”, soa aparentemente impositiva, criando certas resistências interiores, já que cada um de nós quer dirigir e não ser dirigido. Hoje, para superar esta resistência, há quem prefira utilizar expressões semelhantes a fazer uso de “diretor espiritual, tais como:
ü Companheiro de viagem.
ü Conselheiro espiritual.
ü Guru.
ü Assessor.
ü Alma gêmea.
ü Mestres interiores.
O adjetivo “espiritual” não indica a pedagogia da direção e sim o objeto da mesma, que faz referência não aos problemas humanos materiais ou psicológicos, mas sim aos espirituais. A direção espiritual está, portanto presente em todas as religiões, mas nós falaremos apenas da Católica, isto é, de uma direção que inclui em sua orientação não só os valores fundamentais e universais do espírito, mas ilumina esses valores à luz do Evangelho.
Pode um católico orientar espiritualmente um muçulmano, um hindu, um protestante e, viceversa, ser um católico orientado por alguém que tem uma fé diferente da sua?  
A resposta é não, pois na direção espiritual chega-se a certos momentos em que é preciso, como veremos a seu tempo, orientar a pessoa para a Eucaristia, para a Confissão, para a devoção à Virgem Maria, aos Santos etc.
Nos primeiros passos tudo é possível, mas depois é preciso definir onde quer se chegar, ou seja, é preciso levar as pessoas à vivência do Evangelho, lido, interpretado e anunciado pela Igreja Católica. O fim de toda a direção espiritual é a Santidade.
A direção espiritual foi definida como “ciência e arte de conduzir as pessoas à perfeição segundo a própria vocação iluminada pelo Evangelho e pela Palavra da Igreja”. Portanto, conforma a maioria dos autores, “a direção espiritual católica é a ajuda que um católico oferece a outro católico para chegar à coerência de vida segundo os princípios do Evangelho e os ensinamentos da Igreja Católica”.
A arte e a ciência da direção espiritual significam que o diretor espiritual deve ser profundo conhecedor dos caminhos que levam a Deus, fundamentados sobre a Palavra de Senhor, mas também sobre as ciências humanas tão necessárias no conhecimento do ser humano.
A psicologia, a psicanálise e outras ciências humanas podem substituir a direção espiritual? É claro que não, porque nenhuma ciência humana, sem o suporte da graça e da iluminação do Espírito Santo, poderá desenvolver plenamente a potencialidade espiritual do ser humano.
O diretor espiritual, além de ser um profissional, deve ser também “um mistagogo”, Istoé, alguém que possua experiência espiritual e, com a palavra e o testemunho de vida, transmita esses valores aos seus orientados. Não se coloca a profundidade dos mistérios humanos nas mãos de qualquer pessoa que não tenha um profundo respeito pelo trabalho que Deus fez no coração de alguém.
Quando e como fazer a direção espiritual?
                Uma direção espiritual que queira produzir frutos e frutos abundantes não pode acontecer algumas vezes esporádicas, rápidas e sem reflexão. É preciso que os encontros aconteçam com certa freqüência e depois passem a tornar-se menos freqüentes, mas será sempre necessário encontrar-se com o diretor espiritual para poder esclarecer, aprofundar e conhecer melhor o que Deus espera de nós.
                O diretor espiritual que acolhe com cordialidade e afetividade sadia o dirigido, permite que ele manifeste o que se passa no seu coração. Revelar a própria consciência nem sempre é fácil. É preciso saber esperar o momento oportuno, quando a pessoa vai percebendo que chegou a hora de se abrir totalmente. A direção espiritual, verdadeira e autêntica terapia interior, oferece ao dirigido a oportunidade de enfocar a vida à Luz da Palavra de Deus e do modelo completo da existência humana que é Jesus Cristo.
Deus é quem convoca a mudanças de vida. O silêncio e a solidão são indispensáveis para contemplar a si mesmo e, sem medos, olhar as próprias feridas sangrando. Somente vendo as gotas de sangue cair pode-se perceber o tamanho da ferida e a cura necessária.  Há momentos de extrema solidão em que o ser humano, por quanto materialista possa ser, levanta seus olhos para o céu e invoca o nome a luz de alguém que ilumine. O ambiente da direção espiritual é um espaço sagrado, uma tenda onde Deus e o ser humano se encontram motivados pelo amor. O ser humano, desejoso de ser redimido e Deus desejoso de nos redimir de todas as nossas fragilidades.
Relacionamento entre diretor espiritual e dirigido
                Não é necessário um grande esforço para compreender que a direção espiritual é um relacionamento humano entre duas pessoas que tem uma meta em comum: chegar à plenitude da vida interior em Cristo. Todo relacionamento, quando é sadio, desemboca na amizade. Há muitos autores que gostam de definir a direção espiritual como “amizade espiritual”, pois ajuda a penetrar mais a fundo o encontro de duas pessoas que, tendo os mesmos sentimentos e objetivos de vivência evangélica, se ajudam reciprocamente.
                O relacionamento não pode ser gélido, frio; deve, sim, apresentar todas as características de uma amizade fraterna que abre os caminhos para uma integração da fé, da amizade e do ideal de santidade. Todas as características do relacionamento humano de amizade são necessárias para uma boa direção espiritual, sem dominar e sem impedir que o outro seja ele mesmo, e que possa viver com plena liberdade o que Deus lhe pede. Diretor espiritual não é máquina Xerox, mas sim amigo e companheiro que contempla com alegria o desenvolvimento da pessoa nas várias dimensões humano-espirituais, se alegra pelo seu sucesso e se entristece pelos seus fracassos.
Conteúdo da direção espiritual
                A direção espiritual tem como finalidade levar a pessoa à unidade harmoniosa de todo o ser. A vida inteira deve ser espiritual. Na sequencia destacamos alguns pontos que fazem parte da formação da direção espiritual:
ü  Ajudar a pessoa a superar a dicotomia alma/corpo, levando-a a ver o corpo como um sacramento do amor de Deus, pelo qual se realiza a verdadeira experiência do amor de Deus e a experiência do amor humano.
ü  Superar o egoísmo e colocar-se generosamente a serviço de Deus e dos outros.
ü  Ajudar o dirigido a procurar uma vivência integral da vida sacramental e não só de alguns sacramentos.
ü  Ter uma terna e filial devoção a Nossa Senhora.
ü  Criar uma maior familiaridade com a Palavra de Deus.
ü  Viver com autenticidade e coerência o estado de vida.
ü  Ajudar a pessoa numa serena iniciação de oração.
ü  Ajudar a pessoa no conhecimento dos místicos.
ü  Introduzir a pessoa na oração pessoal, comunitária e litúrgica, compreendendo que a oração não é sentimento, mas fidelidade ao projeto de amor a Deus.
ü  Formar a pessoa para uma vida de ascese, de mortificação para que seja mais solidária.
ü  Exercitar um tipo de mortificação que leve ao autodomínio e controle de sua paixões.
ü  Educar a o sentido da cruz.
ü  Assumir a própria fragilidade e paixões.
ü  Acolher a cruz com alegria, como bem aventurança.
ü  Levar a pessoa a assumir a sua fé integrada na Igreja local e universal.
A direção espiritual deve fazer crescer uma pessoa que assume Jesus Cristo, a Igreja e a vida concreta de cada dia, que tem identidade cristã e social no ambiente em que vive, tornando-se assim fermento de transformação.


[1] Sciadini, Patrício, O que é, como se faz direção espiritual. São Paulo, Loyola, 2008. 

Exibições: 667

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Denise em 26 outubro 2013 às 14:35
Regina , muito obrigada! De alguma forma vc me orienta , e desde que comecei a seguir o Aveluz muitas mudanças aconteceram na minha vida . Minha Fé se renovou , floresceu. Que Deus e N Sra lhe abençoem para que vc continue com esse lindo trabalho de amor e caridade . Bjs
Comentário de Lia Cristina Grisi em 25 outubro 2013 às 16:30

Pra mim o maior diretor espiritual é o Espirito Santo!

O problema é o tempo que nós damos pra tudo menos pra ele.

Comentário de Juli em 25 outubro 2013 às 15:07

Comentário de Roberto Ferraz Silveira Junior em 25 outubro 2013 às 13:38

Muito Obrigado Fada San...Abraços

Comentário de geraldo elias amaral pinto em 25 outubro 2013 às 7:54

AGRADEÇO A DEUS PORQUE ENCONTREI A MINHA ALMA GEMEA NO PLANO ESPIRITUAL E MATERIAL AQUI NA TERRA E TAMBÉM PEÇO  ORAÇÃO PRA CADA VEZ MAIS PARA ENRIQUECER MAIS O MEU ESPIRITO DE ALEGRIA E FELICIDADE

Comentário de Regina Maria em 25 outubro 2013 às 7:09

Agradeça a Deus quem tem um bom diretor espiritual.

Eu ainda não tenho embora tenha Nossa Senhora como Diretora e Jesus como Diretor, muitas vezes não ouço o que Ela e Ele me dizem. Minha audição espiritual algumas vezes é falha...

© 2019   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço