Ave Luz

Alegra-te cheia de graça!

Evangelho do dia - (Mt 12,46-50) - Apresentação de Nossa Senhora no Templo

Evangelho (Mt 12,46-50)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Quem faz a vontade de meu Pai, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe. Padre Queiroz

Quinta - 21 de Novembro de 2013 - Evangelho - Mt 12,46-50
Quem faz a vontade de meu Pai, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.
Hoje nós comemoramos com alegria a Apresentação de Nossa Senhora. Conforme antiga tradição, Maria, quando criança, foi apresentada pelos pais, S. Joaquim e Sant’Ana, a Deus, na sinagoga. Havia esse costume entre as famílias hebréias mais devotas, de apresentar a Deus todos os seus filhos e filhas.
Quando, mais tarde, Maria e José apresentaram Jesus no Templo, certamente ela se lembrou que também foi apresentada por seus pais, e consagrada a Deus.
Houve, portanto, uma continuidade: de S. Joaquim e Sant’Ana para Maria, e de Maria para Jesus. Os pais geralmente são assim. Eles continuam nos seus filhos aquilo que receberam de seus pais. Por isso que há o provérbio: Tal pai tal filho. Ou: Filho de peixe peixinho é.
É essa continuidade na educação religiosa dos filhos que vai sustentando, nas novas gerações, a fé e a vida cristã legítima, que vem desde o tempo dos Apóstolos. A caminhada das famílias cristãs é idêntica à caminhada de S. Joaquim e Sant’Ana para Maria e de Maria para Jesus. A gente desenvolve e faz crescer, mais tarde, os valores que recebeu em casa na infância.
Jesus falou sobre isso: “Por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de urtigas? Assim, toda árvore boa produz frutos bons e toda árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar frutos maus nem uma árvore má dar frutos bons. E toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo” (Mt 7,16-19).
É interessante também observar a caminhada de Maria na santidade. Foi um crescimento constante. Começou com a concepção imaculada e terminou com a Assunção, sendo assumida por Deus em corpo e alma. Ela foi sempre crescendo na direção de Deus, sem nunca parar ou regredir.
E no Evangelho de hoje, próprio da festa da Apresentação de Nossa Senhora, Jesus aproveita uma oportunidade para nos dar um ensinamento fundamental sobre a Santa Igreja: Somos a sua família. Não só família de Jesus, de Deus, mas família entre nós, os batizados. Assim como uma criança nasce para uma família, nós, pelo batismo, nascemos para a Família de Jesus.
“Quem faz a vontade de meu Pai, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.” Não basta a pertença material à Igreja; precisamos fazer a vontade de Deus.
Santo Agostinho, comentando este Evangelho, diz: “Não sei qual dignidade de Maria é a maior: Ser mãe de Jesus na carne ou ser sua discípula na fé”.
Existe outra cena no Evangelho, muito parecida com esta, ou melhor, que esclarece esta. É aquela acontecida no Calvário em que Jesus nos dá Maria como Mãe de todos nós. Assim, Maria Santíssima assume um papel central na nova Família que Jesus criou: o papel de Mãe dessa Família. Ela que é mãe de Jesus na carne, torna mãe de Jesus em seu Corpo Místico, que é a Igreja.
Havia, certa vez, um velho, que há muitos anos se deixara encantar por um famoso equilibrista. Mesmo fazendo longas viagens, ele acompanha todas as suas exibições. Prestava atenção em todos os pormenores, e cada vez o admirava mais. Um dia ele teve oportunidade de aproximar-se do equilibrista e lhe pergunto: “você não tem medo de cair?” O equilibrista respondeu: “Não, porque eu conheço o segredo do equilíbrio”.
Pronto, o senhor passou a tentar descobrir qual é o segredo do equilíbrio. Como – pensava ele – esse homem caminha a dezenas de metro de altura, em cima de um arame, sem proteção alguma? Um dia, houve uma grande exibição do equilibrista. O velho estava lá, de olhos fixos no amigo. E disse ele disse para si mesmo: descobri o segredo do equilíbrio; está nos pés, na posição correta dos pés. Procurou o equilibrista e lhe contou esta sua descoberta. Mas ele respondeu: “Não está nos pés”. Então já sei, disse o velho. O segredo está nas mãos e nos braços. São eles que dão o equilíbrio”. “Também não”, disse o equilibrista. E continuou: “O segredo do equilíbrio está nos olhos. Consiste em manter os olhos fixos no poste que sustenta o fio do outro lado. Daí par frente, o senhor idoso observava e confirmou que era isso que mantinha o amigo em cima do fio de arame.
O nosso desejo é pertencermos à Família de Jesus. Para isso, Jesus nos indicou o segredo, a meta, o poste: É fazer a vontade de Deus. Se desviarmos o nosso olhar, certamente cairemos.
Santa Mãe Maria, ensine-nos e leve-nos a fazer a vontade do seu Filho!
Quem faz a vontade de meu Pai, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.

Padre Queiroz


21NOV

Apresentação de Nossa Senhora no Templo


A memória que a Igreja celebra hoje não encontra fundamentos explícitos nos Evangelhos Canônicos, mas algumas pistas no chamado proto-evangelho de Tiago, livro de Tiago, ou ainda, História do nascimento de Maria. A validade do acontecimento que lembramos possui real alicerce na Tradição que a liga à Dedicação da Igreja de Santa Maria Nova, construída em 543, perto do templo de Jerusalém.

Os manuscritos não canônicos, contam que Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria, cuja infância se dedicou totalmente, e livremente a Deus, impelida pelo Espírito Santo desde sua concepção imaculada. Tanto no Oriente, quanto no Ocidente observamos esta celebração mariana nascendo do meio do povo e com muita sabedoria sendo acolhida pela Liturgia Católica, por isso esta festa aparece no Missal Romano a partir de 1505, onde busca exaltar a Jesus através daquela muito bem soube isto fazer com a vida, como partilha Santo Agostinho, em um dos seus Sermões:

“Acaso não fez a vontade do Pai a Virgem Maria, que creu pela fé, pela fé concebeu, foi escolhida dentre os homens para que dela nos nascesse a salvação; criada por Cristo antes que Cristo nela fosse criado? Fez Maria totalmente a vontade do Pai e por isto mais valeu para ela ser discípula de Cristo do que mãe de Cristo; maior felicidade gozou em ser discípula do que mãe de Cristo. E assim Maria era feliz porque já antes de dar à luz o Mestre, trazia-o na mente”.

A Beata Maria do Divino Coração dedicava devoção especial à festa da Apresentação de Nossa Senhora, de modo que quis que os atos mais importantes da sua vida se realizassem neste dia.

Foi no dia 21 de novembro de 1964 que o Papa Paulo VI, na clausura da 3ª Sessão do Concílio Vaticano II, consagrou o mundo ao Coração de Maria e declarou Nossa Senhora Mãe da Igreja.

Nossa Senhora da Apresentação, rogai por nós!

http://santo.cancaonova.com/santo/apresentacao-de-nossa-senhora-no-...


Exibições: 464

Comentar

Você precisa ser um membro de Ave Luz para adicionar comentários!

Entrar em Ave Luz

Comentário de Helder teixeira em 22 novembro 2013 às 21:12

NOSSA SENHORA  este teu filho te ama 

Comentário de maria de lourdes de farias lima em 21 novembro 2013 às 10:29

BOM DIA

  OBRIGADA ADOREI

DEUS ILUMINE

Comentário de Maria Manuela em 21 novembro 2013 às 8:08

Adorei... Obrigada.

Que Deus a guarde!

 

Comentário de gevson teixeira de moura em 21 novembro 2013 às 7:58

Pra quê, maior exemplo de humildade, que o de JESUS? Ele relacionou a sua família, ou seja, seus irmãos e sua mãe, à todos aqueles que alí estava, toda aquela multidão de pessoas, ouvindo sua pregação,suas palavras. E aí eu pergunto, quantos de nós, deixamos ou trocamos nossas famílias pelas pessoas estranhas? Esse com certeza seria o maior desejo do Pai, que acolhessemos as pessoas como se fossem nossos irmãos, ou até mesmo como nossa mãe.Grande exemplo ,de amor e humildade.Amém!!

© 2019   Criado por Regina Maria.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço